804kWh poupados com a
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Seis anos depois, voltou a haver chocolate de Jesus: Al Hilal vence Al Ittihad e conquista Supertaça da Arábia

Al Hilal de Jorge Jesus venceu o Al Ittihad, chegou aos 34 triunfos seguidos e conquistou a Supertaça da Arábia (1-4), com o treinador português a voltar a levantar um troféu no país seis anos depois.

Malcom marcou dois golos na vitória da equipa de Jorge Jesus
i

Malcom marcou dois golos na vitória da equipa de Jorge Jesus

EPA

Malcom marcou dois golos na vitória da equipa de Jorge Jesus

EPA

Seis anos depois, Jorge Jesus podia voltar a conquistar um título na Arábia Saudita. Depois de ganhar a Supertaça com o Al Hilal em 2018, o treinador português tinha a possibilidade de voltar a levantar precisamente a Supertaça e novamente com o Al Hilal. Para isso, precisava de derrotar o Al Ittihad, vencedor da mesma competição na época passada.

Mas a conquista da Supertaça significava muito mais do que isso. Ao ganhar esta quinta-feira, Jorge Jesus podia carimbar o primeiro troféu de uma temporada que já conta com um recorde do Guinness e em que ainda pode juntar Campeonato e Taça. Ou seja, confirmar desde logo que a ideia de voltar à Arábia Saudita foi uma aposta ganha por ele, pelo clube e pelo próprio futebol do país.

“É preciso relembrar que ainda não temos troféus. O nosso objetivo é exatamente esse, o de conquistar o nosso primeiro troféu nesta temporada. Os nossos jogadores não foram afetados pelo Ramadão, estão habituados e lutaremos pelo nosso objetivo. O Al Ittihad já jogou contra nós esta época em estilos diferentes e poderá surpreender. Têm uma linha ofensiva diferenciada e nós temos de apresentar a nossa melhor abordagem defensiva”, disse o treinador português, que eliminou o Al Nassr de Cristiano Ronaldo na meia-final, na antevisão da partida.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Assim, nos Emirados Árabes Unidos e com a presença de Neymar no estádio, Jorge Jesus lançava Aldawsari, Malcom e Michael no apoio a Al Shehri, com Rúben Neves a ser titular no meio-campo. Do outro lado, num Al Ittihad de Marcelo Gallardo que afastou o Al Wehda na meia-final, Hamdallah e Benzema surgiam no ataque, com Kanté no setor intermédio, e Jota começava no banco de suplentes.

O Al Hilal abriu o marcador ainda nos instantes iniciais, com Malcom e Al Shehri a combinarem da melhor maneira e o brasileiro a aparecer na cara de Al Maiouf a abrir o marcador (5′). O Al Ittihad respondeu ainda dentro da primeira meia-hora, com Renan Lodi a cometer grande penalidade e Hamdallah, mesmo permitindo a defesa de Bounou na cobrança do penálti, conseguiu empatar na recarga (21′).

Mesmo à beira do intervalo, porém, o Al Hilal conseguiu recuperar a vantagem. Na sequência de outra jogada muito bem construída Al-Dawsari recebeu à entrada da grande área, tirou um adversário da frente e atirou cruzado e rasteiro para levar a equipa da Jorge Jesus a ganhar para o balneário (44′).

Nenhum dos treinadores fez alterações ao intervalo, mas Marcelo Gallardo mexeu logo à hora de jogo e lançou Jota e Kadesh. Jorge Jesus respondeu com Kanno e Al Shahrani e o Al Hilal controlou sempre o resultado, acabando por fazer o xeque-mate já nos instantes finais e por intermédio do bis de Malcom (89′) e também de Aldawsari (90+6′).

No fim, o Al Hilal goleou o Al Ittihad, chegou à 34.ª vitória consecutiva e conquistou a Supertaça da Arábia Saudita, com Jorge Jesus a voltar a levantar um troféu no país seis anos depois. Numa semana em que distribuiu chocolates pelos jogadores para assinalar o final do Ramadão, o treinador português deu mesmo um chocolate no adversário e mostrou que dificilmente tem oponente a nível interno.

 
Assine o Observador a partir de 0,18€/ dia

Não é só para chegar ao fim deste artigo:

  • Leitura sem limites, em qualquer dispositivo
  • Menos publicidade
  • Desconto na Academia Observador
  • Desconto na revista best-of
  • Newsletter exclusiva
  • Conversas com jornalistas exclusivas
  • Oferta de artigos
  • Participação nos comentários

Apoie agora o jornalismo independente

Ver planos

Oferta limitada

Apoio ao cliente | Já é assinante? Faça logout e inicie sessão na conta com a qual tem uma assinatura

Há 4 anos recusámos 90.568€ em apoio do Estado.
Em 2024, ano em que celebramos 10 anos de Observador, continuamos a preferir o seu apoio.
Em novas assinaturas e donativos desde 16 de maio
Apoiar

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Para ler este artigo grátis, registe-se gratuitamente no Observador com o mesmo email com o qual recebeu esta oferta.

Caso já tenha uma conta, faça login aqui.

Há 4 anos recusámos 90.568€ em apoio do Estado.
Em 2024, ano em que celebramos 10 anos de Observador, continuamos a preferir o seu apoio.
Em novas assinaturas e donativos desde 16 de maio
Apoiar
Junte-se ao Presidente da República e às personalidades do Clube dos 52 para uma celebração do 10º aniversário do Observador.
Receba um convite para este evento exclusivo, ao assinar um ano por 99€.
Limitado aos primeiros 100 lugares
Assinar agora Ver programa