801kWh poupados com a
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Grupo de estudantes pelo clima ocupa Ministério do Ambiente para exigir fim dos combustíveis fósseis até 2030

Grupo de estudantes está no interior do edifício a exigir o fim do uso de combustíveis fósseis até 2030. Jovens querem falar com ministra Maria da Graça Carvalho e entregar-lhe plano para a transição.

Imagem divulgada pelo coletivo de estudantes
i

Imagem divulgada pelo coletivo de estudantes

Imagem divulgada pelo coletivo de estudantes

Um grupo de jovens invadiu esta sexta-feira as instalações do Ministério do Ambiente, em Lisboa, para reivindicar o “fim ao fóssil até 2030”. De acordo com um comunicado enviado pelo movimento Greve Climática Estudantil, o grupo de jovens está a fazer “um protesto de sit in no átrio do edifício, sentados no chão e unidos por tubos de metálicos”.

Segundo a nota, os estudantes recusam sair do edifício enquanto a ministra do Ambiente, Maria da Graça Carvalho, não se comprometer “a garantir o fim aos combustíveis fósseis até 2030”. Os jovens dizem ter consigo um plano para apresentar à governante no qual traçam um caminho para garantir uma “transição justa”, dentro dos “prazos da ciência”.

Trata-se, de acordo com o grupo, de um relatório da campanha “Empregos para o Clima” e integra uma proposta que “procura responder às crises climática e social de uma forma justa e compatível com a ciência climática”.

“Produzido por um trabalho coletivo de académicos, sindicalistas e ambientalistas, [o relatório] defende e demonstra como é possível reduzir as emissões nacionais de gases com efeito de estufa em 80-90%, criando 200 mil a 250 mil novos postos de trabalho”, dizem. O documento já tinha sido entregue, noutras ações de protesto, a outros governantes e nas sedes dos partidos políticos.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Além do protesto no interior do edifício, também no exterior havia “dezenas de estudantes” em protesto. De acordo com o grupo, esses estudantes foram “abordados por dezenas de polícias e forçados a entrar na garagem do edifício”.

Imagem divulgada pelo coletivo de estudantes

Citada no comunicado do grupo, a estudante de medicina Teresa Núncio diz que não resta “outra opção” aos jovens. “A ONU ainda esta semana avisou que temos dois anos para criar e começar a implementar os planos necessários. Mas o governo continua sem ter um plano para garantir o fim ao fóssil nos prazos da ciência. Mesmo depois de já lhes termos várias vezes apresentado um plano de como o podem garantir”, diz a jovem.

“Não podemos consentir com a nossa condenação por um governo que se recusa a enfrentar a realidade climática”, acrescentou. “Se até agora nos têm ignorado, não temos escolha senão ir diretamente às instituições de poder, de forma a que não nos possam ignorar. Não agir era consentir com a nossa condenação em nome do lucro.”

De acordo com o comunicado dos estudantes pelo clima, será organizada uma “marcha combativa por justiça climática” no dia 8 de junho, junto ao Gabinete de Representação do Parlamento Europeu em Portugal, que representa a “inação das instituições europeias em lidar com a maior crise que a humanidade já enfrentou”.

 
Assine o Observador a partir de 0,18€/ dia

Não é só para chegar ao fim deste artigo:

  • Leitura sem limites, em qualquer dispositivo
  • Menos publicidade
  • Desconto na Academia Observador
  • Desconto na revista best-of
  • Newsletter exclusiva
  • Conversas com jornalistas exclusivas
  • Oferta de artigos
  • Participação nos comentários

Apoie agora o jornalismo independente

Ver planos

Oferta limitada

Apoio ao cliente | Já é assinante? Faça logout e inicie sessão na conta com a qual tem uma assinatura

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Para ler este artigo grátis, registe-se gratuitamente no Observador com o mesmo email com o qual recebeu esta oferta.

Caso já tenha uma conta, faça login aqui.

Há 4 anos recusámos 90.568€ em apoio do Estado.
Em 2024, ano em que celebramos 10 anos de Observador, continuamos a preferir o seu apoio.
Em novas assinaturas e donativos desde 16 de maio
Apoiar
Junte-se ao Presidente da República e às personalidades do Clube dos 52 para uma celebração do 10º aniversário do Observador.
Receba um convite para este evento exclusivo, ao assinar um ano por 200€.
Limitado aos primeiros 100 lugares
Assinar agora Ver programa