Do iate Michelin ao churrasco na piscina. 10 novidades para aproveitar ainda mais o verão no Algarve /premium

Ver filmes à beira da piscina, camas balinesas e mesas bem postas: na lista que se segue vai encontrar várias sugestões para tirar o máximo de uma passagem veraneante pelo Algarve no verão.

Já aí está aquela altura do ano em que milhares de portugueses correm para o sul do país em busca do calor, da praia, da serra e do descanso. E também já há muitas novidades — de iates Michelin a churrascos na piscina. Por isso, tome nota da seleção que se segue.

Navegar com as estrelas (Michelin)

Um iate e comida de nível Michelin: esta combinação parece ser digna de um videoclip mas, na verdade, a partir deste verão passa a ser a grande  novidade do restaurante Bon Bon, o espaço de uma estrela Michelin onde o chef Louis Anjos está há pouco mais de um ano — foi para o lugar de Rui Silvestre, que depois de uma passagem tempestuosa por Lisboa voltou a assentar a sul. Mas já lá vamos.

Este projeto no Carvoeiro do restaurateur algarvio (e grande chefe de sala/sommelier) Nuno Diogo vai mudar-se para o mar algarvio sempre que um cliente assim o desejar. Uma parceria com os proprietários do iate “Luma”, o luxuoso Sunseeker de quase 20 metros que está na marina de Portimão, fez com que as ofertas gastronómicas desta casa possam estar disponíveis a bordo. A embarcação tem capacidade para oito passageiros, divididos por duas suites de casal com casa de banho privada, e dois outros quartos com capacidade para dois solteiros (um deles também com casa de banho privada), cada um, e uma cozinha totalmente equipada, pronta a receber o chef Anjos e a sua equipa.

7 fotos

A oferta gastronómica varia consoante os pedidos dos clientes, daí haver margem para escolher: pode degustar o menu completo do Bon Bon, pedir uma mariscada algarvia (há um grelhador ao ar livre no piso superior do barco), ficar-se por uma generosa cataplana ou até reservar alguns membros da equipa deste restaurante para o acompanharem nas pequenas incursões que possa fazer.

Existem vários modelos de aluguer do barco e dos seus serviços mas o facto deste (diz-se…) já ter tido Cristiano Ronaldo como cliente mostra que esta aventura não é para todos — alugar o barco para um sunset de três horas, por exemplo, fica por 1.900€  e um dia inteiro (oito horas) custa €6.500, quer estejam a bordo as oito pessoas ou só um casal. Independentemente de tudo isso não deixa de ser uma aventura imperdível para quem quiser viver o Algarve de forma diferente.

Bela Vista, a da nova mesa do chef

De eterna promessa a valor confirmado: é assim a carreira do chef João Oliveira, o responsável pela cozinha do restaurante Vista, no luxuoso hotel Bela Vista, em Portimão. De forma calma mas consistente este cozinheiro natural do norte do país foi definindo o seu estilo e acertando a identidade que hoje é indissociável do seu trabalho — olhamos para um prato e imediatamente consegue-se perceber quem é que o concebeu.

Falamos de uma cozinha dita “internacional” mas com deliciosos pormenores de portugalidade, tanto no que diz respeito ao produto utilizado como em algumas receitas como a sua versão do leitão à Bairrada, por exemplo. A estrela Michelin que conquistou há pouco mais de um ano foi totalmente merecida e as remodelações e novidades que agora apresenta poderão ser sinónimo de que uma segunda poderá estar na calha.

6 fotos

A maior das novidades foi a criação de uma mesa do chef, um pequeno recanto especial, decorado com inspirações marítimas, que aceita pelo menos dois clientes por noite. Esta modalidade foi estreada há dois meses e pode ser requisitada por qualquer um, no momento da reserva. Os menus são iguais aos que pode comer no piso de cima, onde fica a sala de jantar, e consistem em três opções: o Menu Vista, o mais extenso (7 momentos), que custa 160€ por pessoa/sem vinhos; o Menu do Chef, que tem apenas quatro e custa 110€ por pessoa (também sem vinhos); e finalmente o Menu Estação, que é uma novidade totalmente vegetariana e passível de ser transformado em vegan, custando 95€ por pessoa e sendo composto por quatro momentos. Ah! convém assinalar também que quem escolher esta mesa do chef será servido pelo próprio João Oliveira.

O chef pasteleiro Carlos Fernandes foi uma recente contratação desta cozinha (que foi completamente remodelada) e é dele a autoria do delicioso pão que por aqui se pode comer, bem como todas as sobremesas e doces da carta.

Quem quiser mergulhar a fundo no mundo dos vinhos também vai poder explorar a nova e vistosa cave vínica.

Dormir em “Grand” a olhar para Espanha

É no extremo mais oriental do Algarve, em Vila Real de Santo António, que mora um dos mais recentes hotéis do Algarve, o Grand House, que apesar de estar prestes a entrar no seu primeiro verão tem um dos passados mais completos na história da hotelaria no algarvia — não fosse ele o hotel mais antigo desta região.

A sala de refeições do novo Grand House.

Tiago de Paula Carvalho

Foi em plenos anos 20 do século XIX, época em que a indústria das conservas dava uma vitalidade ímpar a esta cidade ribeirinha, que a família Ramirez (sim, a do atum em lata) decidiu investir naquele que seria o primeiro grande hotel a sul do Tejo, o Grand Hotel Guadiana, que ficou concluído em 1926. O investimento foi um grande sucesso, chegando até a angariar alguns turistas espanhóis do outro lado do Guadiana — o hotel fica na zona ribeirinha da cidade, virado para Ayamonte e arredores. Acontece que a chegada da Segunda Guerra Mundial veio travar o crescimento e sustentabilidade deste projeto que, desde então, foi saltitando entre vários proprietários.

Esta sua nova reencarnação aposta numa estética meio art deco e nas cores claras, como o branco ou o azul, que tanto combinam com esta zona do país. Trata-se de um boutique hotel com apenas 31 quartos ideal para descansar em tranquilidade, seja com ajuda dos tratamentos de beleza de que dispõe (como as massagens, por exemplo) ou com o trabalho do cozinheiro residente, o chef alemão Jan Stechemesser. Dentro dos programas disponibilizados por esta novidade há ainda o interessante passeio guiado pela cidade e sua história, uma ótima oportunidade para ficar a conhecer melhor este recanto no sul do país.

Estar (quase) de molho a ver filmes

Se o ar condicionado de uma sala de cinema já é mais do que bem-vindo durante os tempos de maior calor, imagine o que seria se fosse possível estar dentro de água enquanto o grande ecrã vai funcionando… Apesar de o The Magnolia Hotel, na Quinta do Lago, ter criado a programação “Dive In Movies”, cujo nome fazia adivinhar banhos cinematográficos, esse cenário idílico ainda não será uma realidade. Porém, aquilo a que esse ciclo diz respeito também não é nada de deitar fora: vai poder reunir-se à volta da água para ver o melhor da sétima arte enquanto goza das refrescantes noites de verão.

A piscina do Magnolia Hotel, que também serve de sala de cinema.

Inspirado na estética retro de uma Miami de outros tempos, esta unidade hoteleira é um polo de cor e conforto — não tivesse o estatuto de cinco estrelas — e tem pouco mais de um ano. É por entre neons coloridos, flamingos de plástico e festas sunset que surge este “Dive In Movies”, uma brincadeira como os igualmente vintage drive-ins norte-americanos, os cinemas ao ar livre onde o público ficava sentado nos seus próprios carros. Hóspedes e não hóspedes são bem-vindos a desfrutar desta experiência que decorre todas as quintas-feiras, pelas 21h, e termina só no dia 28 de agosto.

A piscina aquecida do hotel é o epicentro desta experiência que pode ser acompanhada por um cocktail, por exemplo, ou até pode ser vivida à mesa, na mesma ao pé da piscina, podendo o espetador ir jantando enquanto vê um filme. O programa sem refeição é totalmente gratuito mas os que quiserem a opção com mesa e jantar vão ter de pagar 30€ por pessoa. Para reservar, o que é sempre necessário, basta enviar um e-mail para book@themagnoliahotelqdl.com ou ligar para o +351 289 005 300.

Chuva de estrelas no prato em V.N. de Cacela

Falava-se do chef Rui Silvestre há bocado e agora aqui está ele. Este nortenho há muito radicado no Algarve conquistou a sua primeira estrela Michelin ao serviço do Bon Bon, em 2017, e mudou-se para uma aventura lisboeta com o Quorum. O tempo passado na capital não correu como era esperado (Silvestre acabou por sair do projeto, estando agora o chef Tiago Emanuel Santos no seu lugar) e isso foi motivo suficiente para um regresso ao Algarve.

O cartaz completo do primeiro Vistas Stars, Food & Wine

D.R.

O Vistas, restaurante de fine ding do Monte Rei Golf & Country Club, em Vila Nova de Cacela, é agora o seu novo poiso, a antiga casa do já consagrado Albano Lourenço. A mudança deu-se há menos de um ano e desde então Silvestre tem-se ajustado à nova casa e à vontade de conseguir uma estrela Michelin. Enquanto novembro não chega (altura em que são anunciadas as estrelas para Portugal e Espanha) Silvestre vai organizar o Vistas Stars, Food & Wine, evento gastronómico que vai reunir 10 cozinheiros, portugueses e não só, que entre eles somam um total de 14 astros do guia vermelho — tudo isto entre os dias 14 e 17 de julho.

Nomes como o de Herve Deville, Vitor Sobral, Joe Barza, Rui Paula, Christophe Hardiquest, Edwin Vinke, Thomas Bühner, Henrique Sá Pessoa e Ricardo Costa vão trabalhar em conjunto, durante quatro dias, protagonizando vários jantar onde cada um apresentará um prato de sua autoria. Está previsto também uma espécie de mega-showcooking onde cada um dos convidados estará a confecionar um pequeno prato à frente dos clientes. Sempre com a ajuda do grande Nuno Pires, o sommelier da casa, estes jantares são um bom motivo para umas férias gastronómicas (os preços vão andar entre os 195€ e os 170€ por pessoa, variando consoante o jantar que escolher).

O Algarve no seu smartphone

Imagine um daqueles dias de praia espetaculares. A temperatura da água está a cima dos 25º; o sol brilha; o areal tem pouca gente; corre uma brisa muito suave e estamos rodeados de família e amigos — quem é que seria capaz de abdicar disto, de consciência tranquila, para ir para casa tratar do jantar ou almoço? Agora isso deixou de ser problema porque já pode encomendar comida através do telefone, via a aplicação Uber Eats.

O gigante da distribuição de comida estreou-se no Algarve há pouco mais de três meses e compila em si uma mistura de restaurantes tradicionais e modernos que, garante a marca, será entregue num período até 30 minutos. Fala-se então de referências mais massificadas como a McDonald’s, por exemplo, ou de casas mais tradicionais como a Tertúlia Algarvia, em Faro. Não faltam também espaços da moda, como a hamburgueria Burgers And Bowls, de Almancil, ou a pizzaria La Pizza Loca, em Quarteira. Independentemente do que pedir saiba só que o raio de ação desta versão algarvia Uber Eats limita-se às cidades de Faro, Olhão, Loulé e Quarteira, entre as 12h e as 24h.

Outra novidade tecnológica a dar à costa é o serviço Zomato. Cinco anos após a estreia em Portugal e já tendo compilada uma vasta base de dados sobre os restaurantes de Lisboa e Porto, esta espécie de páginas amarelas digital dedicada em exclusivo à restauração inaugurou em grande, reunindo cerca de 4000 espaços espalhados por todo o Algarve. Segundo a empresa estão representados 30 tipos de gastronomia e isto quer dizer que aquele dia de praia idílico de que se falava há umas linhas continua sem precisar de ser ignorado — pode sempre consultar a lista e escolher um sítio para onde possa ir direto, com areia no corpo e tudo.

Quarteira a dar música

Dino D'Santiago é um dos rostos do festival Sou Quarteira.

DIOGO VENTURA/OBSERVADOR

Sol todo o dia e música pela noite: é isto que o Movimento Sou Quarteira propõe com o festival homónimo que, depois de uma “edição zero” bem mais modesta, ganha corpo e forma (ainda) mais séria.

Composto por quatro jovens — Dino D’Santiago, Inês Oliveira, Miguel Jacinto e Naomi Guerreiro –, este grupo que procura mostrar o talento escondido nesta cidade algarvia conseguiu criar um evento por onde passarão artistas como Allen Halloween, Branko, Eva Rap Diva, Jimmy P, Kojey Radical, M.D.A & Maskarilha, Mayra Andrade, Mina & Bryte, Mishlawi, Mundo Segundo & Sam The Kid, PEDRO, Perigo Público & Sickonce, Plutónio, Sacik Brow & Fragas, Dj Adamm, Dj Big, Dj Kwan e Progressivu — tudo isto espalhado por dois dias de festa, 16 e 17 de agosto, com encontro marcado no Passeio das Dunas.

O Movimento Sou Quarteira une quatro jovens locais — Dino D’Santiago, Inês Oliveira, Miguel Jacinto e Naomi Guerreiro — , “que procuram mostrar através de um conjunto de atividades o talento de Quarteira em várias áreas, desde das artes ao desporto”, disseram os quatro à agência Lusa.

A cidade de Quarteira tem a particularidade de ter sido uma das que mais comunidades de imigrantes recebeu e isso nota-se no rico caldeirão cultural em que se tornou. Os artistas escolhidos para animar estes dois dias são reflexo disso, havendo sugestões do hip-hop ao funk passando pela eletrónica e os ritmos africanos. Este festival é, acima de tudo, uma festa virada para os habitantes de Quarteira e isso nota-se em pormenores simples como os descontos nos bilhetes e passes para o evento (os preços normais são de 10€ e 15€, respetivamente), na exposição “Heróis de Quarteira”, que pretende homenagear personalidades locais que, de alguma forma, se destacaram, ou até através do documentário que terá aqui a sua antestreia.

Comer no/a Alameda

A entrada do novo restaurante Alameda, em Faro.

A cidade de Faro ganhou um novo spot gastronómico que vem trazer uma lufada de ar fresco ao panorama da restauração da cidade. O sul do país foi, durante muito tempo, uma zona dividida entre restaurantes maus/armadilhas de turista, casas simples de peixe grelhado e depois espaços Michelin de topo. Talvez por falta de massa crítica nunca houve muito espaço para algo que ficasse num patamar mais intermédio, onde alguma contemporaneidade se conjugasse com bom produto e técnica acima da media.

Este vazio durou algum tempo mas agora, talvez impulsionado pelo crescente movimento da bistronomie francesa em Portugal (veja-se o caso de restaurantes como o Prado, o Attla, o Frade, etc…), surge este refrescante Alameda, projeto que tem como timoneiro gastronómico o jovem chef Rui Sequeira (que foi um dos finalistas do programa Top Chef português), um filho da terra que decidiu pegar na experiência de seis anos que foi acumulando no duas estrelas Michelin e abrir este simples Alameda que mora bem no centro da capital do Algarve.

A carta deste espaço é muito simples, dividindo-se em sugestões da Terra e do Mar, e inclui pratos como as bolas crocantes de cataplana Algarvia e maionese de limão (6,90€), o xerém de bivalves com espuma de toucinho de porco alentejano (12,95€), o borrego com cenouras algarvias, couscous de azeitona e papari de cominhos (14,90€) ou até o bacalhau com migas de abóbora, ovo escalfado e molho de chouriço de Monchique (14,50€).

Aceitar a comida que a Maré nos dá

O novíssimo sundeck do Maré, no Pine Cliffs.

O Pine Cliffs Resort, em Albufeira, é um dos hotéis mais populares do sul do país — e um dos maiores também. Há pouco tempo a direção do hotel decidiu dar uma reviravolta no alinhamento gastronómico de todo resort e escolheu o experiente chef João Alves para encabeçar essa renovação. O primeiro alvo da mudança? O restaurante/bar de praia Maré. Depois de atravessadas as já icónicas dunas de pedra avermelhada, mesmo junto à praia-quase-privativa do hotel, mora a estrutura que em tempos foi gerida pelo chef Olivier mas agora mudou e cresceu. O telhado foi convertido num sundeck de luxo com camas balinesas, espreguiçadeiras e um serviço de “mordomo de praia” que vai garantir que o tempo que passa ao sol será pleno de conforto, com bebidas, champanhe e até pratos de fruta fresca (entre 135€ e 200€).

Num plano mais acessível tem a renovada carta do chef João, que não só supervisiona este poiso do Pine Cliffs como todos os outros. Apostando numa cozinha muito simples e regional mas com cuidado redobrado no que toca à qualidade dos produtos, nesta ementa figuram pratos como a salada de polvo (11€) ou de sapateira (16€), por exemplo; o gaspacho também com sapateira (14€), uma salada fresca de espinafres e frutos silvestres (16€), o peculiar hambúrguer de ceviche (22€). Escolha não falta e até pode ficar descansado que se estiver num dos toldos da área concessionada do pelo hotel vai poder pedir algum petisco da carta de snacks deste Maré.

Churrascos à beira da piscina

Imagine este cenário.... Mas com churrascos a fumegar.

Shaun Fisher

Para finalizar regressamos à Quinta do Lago, em Almancil, para falar do novo programa que o Martinhal está a apresentar este verão — os churrascos especiais.

Esta cadeia de hotéis é especializada no turismo em família. E, como verão é sinónimo de carne ou peixe na brasa, obviamente que não podiam faltar os churrascos. É na zona principal de piscina, o Pool Hangout, que durante os meses mais quentes se vão organizar barbecues duas vezes por semana, bem junto da piscina, para que possa sentir o fresco da água enquanto prova o melhor da carne, peixe e marisco das redondezas.

Outra novidade, que está muito ligada a esta última, é a possibilidade de se pedir um churrasco privado nas villas (moradias que se podem alugar), atividade sujeita a marcação prévia e realizável mediante a disponibilidade dos serviços do hotel.

Recomendamos

Populares

Últimas

A página está a demorar muito tempo.