Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Manuel Pinho já foi apanhado em contradições: disse que cortou toda e qualquer ligação com o BES enquanto exerceu funções de ministro de José Sócrates quando, afinal, durante todo esse tempo, continuou a receber nas suas contas sediadas em paraísos fiscais transferências mensais vindas do famoso ‘saco azul’ do Grupo Espírito Santo (GES). O Ministério Público tem uma estimativa de quanto recebeu o ex-ministro. Mas será que já se conhece o bolo todo? E os pagamentos teriam, de facto, uma contrapartida?

O Bloco de Esquerda já disse que quer ouvir o ex-ministro da Economia no Parlamento e mostrou que não está disponível para esperar pelos tempos da Justiça (que também lhe quer fazer perguntas) — vai, por isso, propor a criação de uma comissão de inquérito parlamentar. O PS valida esse modelo, tal como o CDS e o PCP parecem estar disponíveis para avançar nesse sentido; já o PSD não parece rever-se no modelo.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.