815kWh poupados com a
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Fã de Picasso? Há um roteiro a não perder em Espanha

Apostamos que não imagina a quantidade de monumentos e obras de Picasso que tem para ver em Espanha. Nuestros hermanos prepararam um roteiro para conhecer o artista, desfrutando de várias cidades.

Picasso é mágico. Foi e é porque as pessoas belas nunca morrem verdadeiramente, principalmente quando deixam o seu legado para o mundo. Morreu há 50 anos, mas foi pintor, escultor, desenhista e viajante, deixando marcas do seu trabalho em várias cidades de Espanha – país onde nasceu – e França, onde viveu grande parte da sua vida.

Assim, para comemorar o talento e a intemporalidade do mestre do cubismo, Espanha preparou um roteiro incrível que passa por Málaga, Madrid, Barcelona e Coruña e que integra exposições e vários eventos ao longo do ano. Para além da vida e obra de um dos artistas mais influentes do Séc. XX, o convite é extensível a conhecer a vida destas cidades que continuam de boa saúde, oferecendo uma experiência de viagem, certamente, inesquecível. Faça-se à estrada com o Observador.

Untitled infographic
Infogram

Malága: nasceu um artista

Aqui nasceu Pablo Ruiz Picasso, a 25 de Outubro de 1881. Foi também aqui que foi batizado e onde passou parte da sua infância. Inicie o seu roteiro picassiano no Museu Picasso Málaga, com obras como Olga Kokhlova com mantilha, Natureza morta com crânio e três ouriços ou Jacqueline sentada. Siga para a Fundação Picasso – Museu Casa Natal de Picasso, e tenha o privilégio de ver objetos pessoais do artista e da sua família, como os desenhos preparatórios para a obra As Senhoritas de Avignon. Para que o roteiro fique completo, não deixe de visitar a Igreja de Santiago, onde foi batizado.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

  • Getty Images

Já que está aqui...

Mostrar Esconder

Perca-se num misto de história e contemporaneidade. Está na Andaluzia e, segundo lhe chamam, na capital da costa do sol que se reiventa a cada instante. Se procura lugares centenários, nada como visitar Alcabaza, uma das maiores fortalezas árabes desta província ou o Castelo de Gibralfaro, que oferece, provavelmente, a melhor vista de toda a cidade. Aos pés do castelo ficam o Teatro Romano e um centro histórico perfeito para passear. Nas suas ruas vão surgindo lugares onde poderá sentar-se para tomar um aperitivo, como o Mercado de Las Atarazanas, e monumentos como a Catedral, conhecida como “La Manquita” devido à sua torre direita que está inacabada.

No entanto, Málaga também tem uma personalidade moderna e arrojada. Se fizer mais o seu estilo, não deixe de visitar o Museu Carmen Thyssen, o único Centro Pompidou que existe fora de França – o seu cubo colorido já se tornou um ícone – ou a Coleção do Museu Russo de San Petersburgo. Aqueles que procuram uma cultura mais underground não podem perder o Centro de Arte Contemporânea, nem a arte urbana das fachadas e dos locais do bairro alternativo do Soho.

Corunha: os primeiros passos do génio

A viagem continua em direção ao norte, na Galiza, para onde Picasso se mudou com 10 anos. Filho de um professor da Escola de Belas Artes, acabou por entrar para essa mesma escola onde começou a pintar os seus primeiros retratos. Aqui, fazem parte do roteiro a Praia de Orzán, a Torre de Hércules – declarada Património Mundial pela UNESCO –, o Teatro Rosalía de Castro e a Casa-Museu Picasso.

  • Pablo Herranz
  • O.Rodbag

Não deixe a cidade...

Mostrar Esconder

… sem explorar a bonita arquitetura, as praças e o passeio marítimo. Saia um pouco do plano urbano e visite a imponente Costa da Morte com escarpadas falésias, dunas e vilas marinheiras com tradicionais faróis e praias. Repaste-se com a qualidade dos frutos do mar, como perceves ou caranguejos.

Madrid: o salto do artista

A capital de Espanha é de passagem obrigatória se quer pisar um dos melhores museus do mundo – o Museu Nacional do Prado. Pois é, foi aqui que Picasso, apenas com 14 anos, entrou pela primeira vez, sem a mínima ideia de que viria a ser nomeado diretor honorário do museu em 1936. Consta que foi aqui também que terá ficado impactado pela obra de artistas como Velásquez e El Greco. Ainda assim, o Museu do Prado não é a única referencia a Pablo Picasso na capital.

  • Getty Images/iStockphoto

Aventure-se pelo Museu Nacional Centro de Arte Rainha Sofia, onde, entre outras obras, poderá espantar-se com o Guernica: um mural de quase oito metros de comprimento que o artista pintou para dar testemunho do horror que foi a Guerra Civil Espanhola. Uma cena trágica em que muitos interpretam uma ode à esperança.

Capital que é capital

Mostrar Esconder

Não nos deixa ir embora sem antes conhecer aquilo que tem de mais emblemático. Procure o Passeo del Arte, onde se concentram os principais museus com algumas das melhores coleções do mundo, e que está rodeado por palácios e bonitos jardins. Para completar o passeio perca-se com as icónicas fontes de Cibeles e Neptuno, os antigos Correios, Banco de Espanha e visite os belíssimos Jardim Botânico e Observatório Astronómico.

Barcelona e a horta de Sant Joan:

Foi apenas com 14 anos que Picasso entrou para a Escola de Belas Artes de Barcelona – La Llotja. Foi nesta cidade aberta ao mundo que um dos génios da pintura ocupou o seu primeiro estúdio e realizou a primeira exposição pessoal das suas obras no famoso restaurante Els Quatre Gats. Visite o Museu Picasso de Barcelona e surpreenda-se, por exemplo, com a interpretação pessoal que ele fez de As Meninas de Velásquez.

Já na Horta de Sant Joan, um pequeno povoado do interior a cerca de 200 quilómetros de Barcelona, consta que Picasso experimentou as suas emoções mais puras. Aqui, não perca o Centro Picasso, com reproduções das obras que o artista criou em Horta e nas quais imortalizou o povoado. Para completar a experiência, procure alguns dos monumentos que aparecem nos seus quadros – Convento de São Salvador, Praça de Missa e a Casa de Campo de Tafetans.

Barcelona intemporal

Mostrar Esconder

Barcelona é um mundo. Ou uma cidade aberta ao mundo, se preferir. Fique uns quantos dias, visite as ruínas romanas e os bairros medievais (como não ir ao Bairro Gótico?), perca-se em construções vanguardistas. Acreditamos que Picasso lhe diria que seria imprescindível conhecer o legado do modernista Gaudi, que também o influenciou.

Saiba a agenda de exposições e eventos aqui e comece a fazer planos. Já agora, podemos ir na sua mala?

 
Assine o Observador a partir de 0,18€/ dia

Não é só para chegar ao fim deste artigo:

  • Leitura sem limites, em qualquer dispositivo
  • Menos publicidade
  • Desconto na Academia Observador
  • Desconto na revista best-of
  • Newsletter exclusiva
  • Conversas com jornalistas exclusivas
  • Oferta de artigos
  • Participação nos comentários

Apoie agora o jornalismo independente

Ver planos

Oferta limitada

Apoio ao cliente | Já é assinante? Faça logout e inicie sessão na conta com a qual tem uma assinatura

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Para ler este artigo grátis, registe-se gratuitamente no Observador com o mesmo email com o qual recebeu esta oferta.

Caso já tenha uma conta, faça login aqui.

Vivemos tempos interessantes e importantes

Se 1% dos nossos leitores assinasse o Observador, conseguiríamos aumentar ainda mais o nosso investimento no escrutínio dos poderes públicos e na capacidade de explicarmos todas as crises – as nacionais e as internacionais. Hoje como nunca é essencial apoiar o jornalismo independente para estar bem informado. Torne-se assinante a partir de 0,18€/ dia.

Ver planos