Uma publicação no Facebook, de 7 de junho último, refere que 388 portugueses foram mortos na África do Sul em quatro anos, sugerindo que em causa estão as datas de 2016 a 2020, e insurgindo-se contra o facto de não ter sido organizada qualquer manifestação de protesto em Portugal, à semelhança do que tem acontecido nas últimas semanas um pouco por todo o mundo, na sequência da morte de George Floyd, um negro assassinado pela polícia norte-americana.

A notícia em si não é falsa, mas está completamente desfasada no tempo, a exemplo do que acontece com muitas outras publicações na rede social fundada por Marck Zuckerberg, e que são republicadas de modo a parecerem atuais.mApesar disso, já foi partilhada mais de 6 mil vezes.

A publicação partilhada no Facebook

No caso em questão, esta publicação — assinalada como potencial notícia falsa — remete diretamente para uma notícia publicada pelo jornal Público a 21 de maio de 2001, com o título “388 portugueses mortos na África do Sul em quatro anos”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A notícia dá conta da morte de Noel Bernardo Nunes, assassinado na Cidade do Cabo, como sendo a 388.ª vítima portuguesa da violência na África do Sul nos quatro anos anteriores, ou seja, entre 1997 e 2001.

Aliás, a notícia dá mesmo conta da inauguração, marcada para 3 de junho de 2001 (há 19 anos), de um memorial aos portugueses morto em Brentwood Park, na cidade de Benoni, no âmbito das comemorações do Dia de Portugal, e que incluía a fotografia de todos os 388 portugueses assassinados na África do Sul no referido período de quatro anos.

Conclusão:

Esta publicação que anda a circular no Facebook é enganadora. Apesar de ser verdade que morreram quase quatro centenas de portugueses na África do Sul em quatro anos, a publicação remete para uma notícia publicada pelo jornal Público, datada de 21 de maio de 2001, referindo-se ao período entre 1997 e 2001, e nada tem a ver com o contexto atual, como infere a publicação que anda a circular atualmente e que surge no contexto dos protestos antirracismo que se têm visto um pouco por todo o mundo devido à morte do afro-americano George Floyd pela polícia, nos EUA.

Segundo a classificação do Observador, este conteúdo é:

No sistema de classificação do Facebook este conteúdo é:

PARCIALMENTE FALSO: as alegações dos conteúdos são uma mistura de factos precisos e imprecisos ou a principal alegação é enganadora ou está incompleta.

Nota: este conteúdo foi selecionado pelo Observador no âmbito de uma parceria de fact checking com o Facebook.

IFCN Badge