1 Cada vez que Sócrates aparece nas notícias, emergindo do seu exílio interno na Ericeira (pobre vila que não merecia tal destino), interrogo-me como foi possível ter chegado a PM? Um homem sem escrúpulos e sem princípios. Um homem que mente por hábito, aliás incapaz de distinguir a verdade da mentira. Um homem que não mostra qualquer respeito por Portugal nem pelos portugueses. Um homem onde só existe ódio, raiva e rancor.

A vida de Sócrates constitui um percurso de um oportunista sem qualquer qualidade profissional ou competência que o distinga. Um grau universitário alcançado com exames orais ao domingo e com equivalências muito duvidosas. Uma carreira de “engenheiro” de uma mediocridade exemplar. Um consulado no ministério do Ambiente cheio de suspeitas. Um PM que levou o país à falência. E para culminar este percurso desastroso, assinou uma tese de mestrado e livros escritos por outros.

Esta figura desgraçada, depois de ter levado Portugal à falência, a qual causou o sofrimento de milhões de portugueses, disse nas últimas audições judiciais que vinte mil euros por mês não eram suficientes para viver. Num país que discute se pode aumentar o ordenado mínimo para 750 Euros, num país onde o ordenado médio é pouco mais de mil euros. Neste país de pessoas remediadas que lutam com dificuldades para levar uma vida com dignidade, um antigo PM tem o descaramento cruel de dizer que vinte mil euros para ele não eram suficientes. Repito: VINTE MIL EUROS. Sócrates perdeu qualquer noção razoável sobre o dinheiro.

Esta declaração foi feita por um antigo PM de um partido que se diz de esquerda e preocupado com a pobreza. O que sentem os militantes socialistas? O que sentem os ministros deste governo que serviram o governo de Sócrates?

2 O Brasil afinal continua a ser uma democracia. Muitas das nossas almas sensíveis declararam a morte da democracia brasileira e o regresso da ditadura com a eleição de Bolsonaro. Ora o maior adversário desse ditador, Lula, acabou de sair da prisão por decisão do Supremo Tribunal Federal. Parece que afinal continua a existir uma justiça independente no Brasil, o que manifestamente não acontece em ditaduras como a China e como a Rússia. Vejam o que acontece aos opositores dos governos chinês e russo. Mas isso, obviamente, não perturba as nossas almas sensíveis.

Se deixarmos de lado os histerismos habituais de muitos dos nossos cronistas das esquerdas, os factos são os seguintes. Lula foi preso antes de Bolsonaro ser eleito Presidente, e foi solto com Bolsonaro no poder. Só há uma conclusão a retirar: a justiça no Brasil é independente. E não deixou de ser com a eleição de Bolsonaro.

Convém ainda fazer algumas clarificações. Se a condenação de Lula for confirmada em terceira instância, o antigo Presidente voltará para a prisão. Lula está ainda acusado por outros crimes. Finalmente, Lula está proibido de concorrer a qualquer lugar público, como resultado da sua condenação.

3 Numa altura em que se celebra os 30 anos da queda do Muro de Berlim, as esquerdas portuguesas unidas, ou seja PS, Bloco e PCP (mais os outros comunistas também conhecidos como Verdes), acabaram de construir um muro politico no Parlamento contra o Livre, a IL e o Chega. Os pequenos partidos não podem participar nos debates quinzenais quando o PM vai à Assembleia da República. Esta decisão da maioria de esquerda mostra o modo como olham para a democracia: um mero instrumento para chegarem ao poder e impedirem o poder dos outros. No fundo, se pudessem, tratariam os outros partidos como Salazar tratava a oposição.