Logo Observador
Turismo

Livraria Lello quer cobrar entradas aos visitantes

1.195

Com quatro mil visitantes por dia, a Livraria Lello não tem "a tranquilidade que uma livraria exige", segundo o responsável de loja. Cobrar entrada aos visitantes pode ajudar a controlar a situação.

A Livraria Lello no Porto, uma das livrarias mais bonitas do mundo, não consegue conciliar a atividade comercial diária com o facto de ser uma atração turística e pretende passar a cobrar três euros a cada visitante para resolver o problema, noticiou o Jornal de Notícias (JN).

“É muito difícil conciliar o facto de sermos uma atração turística e de termos esta pressão enorme, quer de visitantes quer de pessoas cá dentro, com a tranquilidade que uma livraria exige”, disse o responsável pela livraria, José Manuel Lello, em entrevista ao JN.

Haverá uma distinção entre clientes e visitantes, disse José Manuel Lello. Os clientes terão um cartão “Amigos da Lello” mediante o adiantamento de dez euros descontável numa compra no período de um ano. Aos visitantes será cobrada uma entrada de três euros que também poderá ser descontada numa compra que façam na livraria.

A centenária Livraria Lello recebe diariamente quatro mil visitantes, segundo o responsável de loja. Foi considerada a terceira mais bela do mundo pelo Guardian em 2008 e pelo Lonely Planet em 2010. Já este ano, a livraria foi considerada a mais “cool” do mundo pela revista Time.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: vnovais@observador.pt
Homossexualidade

Hereges e beatas

Luis Carvalho Rodrigues

Eu percebo que gente como a deputada Isabel Moreira não faça a mínima ideia do que é uma “verdade científica” sobre a homossexualidade. Mas já custa ver a professora Ana Matos Pires repetir a tolice.