Logo Observador
Casa Branca 2016

Voto latino vai levar Hillary para a Casa Branca, diz a Univision

Modelo de previsão da televisão hispânica Univision dá a vitória a Hillary Clinton na Florida. Para Trump, se o magnata perder na Florida será muito difícil conseguir vencer as eleições.

AFP/Getty Images

O canal televisivo Univision, o canal favorito dos latino-americanos, falado em castelhano, aponta para uma vitória de Hillary Clinton na Florida — o estado que pode revelar-se o mais decisivo — graças ao voto latino. A projeção do canal televisivo, que se baseia numa análise estatística, dá uma vitória a Hillary por 2,2 pontos percentuais. Mas o modelo pode falhar, se os hispânicos não votarem em grande número — o que parece estar a acontecer (os dados do voto antecipado apontam para uma participação elevada).

“Os eleitores hispânicos vão dar uma vitória eleitoral na Florida a Hillary Clinton, ajudando-a a tornar-se a primeira presidente mulher nos EUA”, avança a Univision na sua projeção definitiva, publicada esta madrugada. As estatísticas utilizadas no modelo baseiam-se em dados reunidos no domingo pela Univision Noticias e pela Cifras y Conceptos.

Com o voto dos hispânicos, que representam 18,5% do eleitorado, Hillary deve ganhar na Florida 48,58% versus os 46,38% de Trump. Contudo, se os hispânicos não votassem Hillary perdia. Eis como se votaria na Florida, com e sem latinos, segundo a Univision.

univision

No gráfico à esquerda, aparece a previsão com toda a votação. Já o gráfico da direita, que exclui o voto hispânico, dá uma derrota a Hillary. O estado da Florida é decisivo, e já foi assim várias vezes no passado, com os 29 votos no colégio eleitoral a revelarem-se cruciais várias vezes no passado. “Se perder na Florida, Trump não tem praticamente qualquer hipótese de se tornar presidente”, diz a Univision, lembrando que é preciso chegar aos 270 votos no colégio eleitoral para ganhar.

Esta versão definitiva da projeção da Univision já leva em consideração os dados do voto antecipado dos últimos dias. Os últimos números apontam para uma boa participação por parte dos latino-americanos, caso contrário poderia concretizar-se um dos grandes riscos para esta previsão — os hispânicos não votarem.

A restante imprensa norte-americana reforça que a afluência das comunidades hispânicas é decisiva. “Os eleitores hispânicos preparam-se para fazer uma reprimenda histórica a Donald Trump e ao Partido Republicano”, indica o Politico.

As primeira estatísticas mostram um aumento de afluência nos estados com grandes comunidades hispânicas, como a Florida, a Geórgia e a Carolina do Norte. “Nesta altura em 2008, 260.263 eleitores latinos [da Florida], ou 9,6% dos eleitores, tinham votado. Até agora em 2016, o número cresceu para 596.146, ou 14,1% dos votos”, escreve a CNN, que cita a companhia de estudos Catalist.

As sondagens divulgadas pela imprensa norte-americana apontam para que 79% dos hispânicos votem em Hillary Clinton.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: ecaetano@observador.pt