Mundial 2018

Hungria com três estreantes nos eleitos para defrontar Portugal na qualificação para o Mundial 2018

O selecionador de futebol da Hungria convocou esta segunda-feira 23 jogadores para o jogo de sábado com Portugal, de qualificação para o Mundial 2018, que inclui três estreantes.

Portugal, campeão europeu em título, defronta a Hungria pelas 19h45 de sábado, no Estádio da Luz

ILLYES TIBOR/EPA

Autor
  • Agência Lusa

O selecionador de futebol da Hungria, o alemão Bernd Storck, convocou esta segunda-feira 23 jogadores para o jogo de sábado com Portugal, de qualificação para o Mundial 2018, que inclui três estreantes, entre os quais o brasileiro naturalizado Paulo Vinícius.

O defesa-central Paulo Vinícius, de 27 anos, formado no São Paulo e com uma breve passagem pelo futebol argentino, ao serviço do River Plate, em 2010/11, atua no Videoton desde 2011/12 e foi pela primeira chamado por Storck.

Portugal, campeão europeu em título, defronta a Hungria pelas 19h45 de sábado, no Estádio da Luz, em Lisboa, em jogo a contar para a quinta jornada do Grupo 2 da fase de qualificação para o Mundial 2018, na Rússia.

A invicta seleção da Suíça, contando por vitórias os quatro jogos realizados, lidera o agrupamento, com 12 pontos, seguida de Portugal, com nove, e da Hungria, com sete.

Lista dos 23 convocados:

  • Guarda-redes: Dénes Dibusz (Ferencváros), Péter Gulácsi (Leipzig/Ale) e Balázs Megyeri (Greuther Fürth/Ale).
  • Defesas: Barnabás Bese (Le Havre/Fra), Attila Fiola (Videoton), Szilveszter Hangya (Vasas), Tamás Kádár (Dinamo Kiev/Ucr), Mihály Korhut (Hapoel Beer Sheva/Isr), Ádám Lang (Dijon/Fra), Ádám Pintér (Greuther Fürth/Ale) e Paulo Vinícius (Videoton).
  • Médios: Zoltán Gera (Ferencváros), Dávid Holman (Debreceni), Zsolt Kalmár (Brøndby/Din), Gergo Lovrencsics (Ferencváros) e Ádám Nagy (Bolonha/Ita).
  • Avançados: Adorján Krisztián (Novara/Ita), Balázs Dzsudzsák (Al-Wahda FC/EAU), Ádám Gyurcsó (Pogon Szczecin/Pol), Márton Eppel (Honvéd), Tamás Priskin (Slovan Bratislava/Svq), Roland Sallai (Palermo/Ita) e Ádám Szalai (Hoffenheim/Ale).
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Autárquicas 2017

As eleições de André Ventura

Rui Ramos

Não há no que André Ventura afirmou qualquer vestígio de “racismo” ou “xenofobia”. Mas este Verão, a nossa oligarquia política precisava de inventar um Trump de palha, desse por onde desse.  

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site