Papa em Fátima

Artigos oficiais do Santuário de Fátima com procura crescente

A procura pelos artigos oficiais do Santuário de Fátima está a aumentar. O interesse generalizado já se estendeu também a produtos dirigidos ao público infantil, diz o administrador do Santuário.

T-shirts, lenços do adeus, guarda-chuvas, crachás, ímanes, garrafas para água ou copo de vidro com cera perfumada são alguns dos artigos oficiais do santuário comercializados apenas nas suas lojas.

AFP/Getty Images

Os artigos oficiais do Santuário de Fátima, lançados em 2013, registam uma procura crescente, tendo a instituição desenvolvido no ano seguinte produtos dirigidos ao público infantil, disse à agência Lusa o administrador do templo.

“Foi no ano de 2012 que começámos a fazer esse trabalho, embora a venda efetiva dos artigos tenha sido no início de 2013”, afirmou o padre Cristiano Saraiva, referindo que ano após ano “tem vindo a aumentar” a procura destes artigos, embora sem especificar valores.

Segundo Cristiano Saraiva, o santuário, onde peregrina o papa Francisco a 12 e 13 de maio, chegou à conclusão de que era importante ter artigos próprios que levassem “os peregrinos a fazer o prolongamento da sua peregrinação” com uma recordação.

Muita gente nos pedia isso, algo que identificasse o santuário, que fosse uma marca do próprio santuário”, precisou.

T-shirts, lenços do adeus, guarda-chuvas, crachás, ímanes, garrafas para água ou copo de vidro com cera perfumada são alguns dos artigos oficiais do santuário comercializados apenas nas suas lojas.

A gama exclusiva de produtos, cerca de 20, foi desenvolvida através de duas linhas, uma ligada à ritualidade e a outra alusiva à celebração do centenário dos acontecimentos de Fátima.

Em determinada altura, chegámos à conclusão de que também era importante desenvolver uma linha infantil”, declarou, referindo que foram criados, entre outros, ‘t-shirts’, bonés, panamás, mochilas, sacos, esferográficas, lápis e cadernos.

O administrador explicou que esta linha infantil foi desenvolvida devido à catequese e às solicitações dos fiéis.

“E, também, olhando a importância dos beatos Francisco e Jacinta Marto, como exemplo, como modelo”, declarou, frisando que neste trabalho o santuário não utilizou imagens dos videntes nas fotografias, como também não o fez em relação a Nossa Senhora, à capelinha ou basílica.

Os preços dos artigos variam entre 1 e 13 euros e alguns podem ser encomendados na loja “online” do santuário, sendo que a próxima novidade será um conjunto de porcelana – prato, caneca e tigela – na linha infantil, mas que pode ser adquirido separadamente.

Todos estes produtos que fizemos não queremos que eles entrem em concorrência com nada nem com ninguém, queremos distingui-los por produtos de qualidade”, salientou, referindo que o objetivo é que também “sejam acessíveis em termos de custo”.

Por outro lado, o templo quer que os peregrinos tenham “a garantia de que quando estão a comprar estes produtos de ‘merchandising’ do santuário não estão a comprar um produto como há em todas as outras lojas”, acrescentou.

Cristiano Saraiva assegurou, ainda, que “o santuário não vê o desenvolvimento deste ‘merchandising’ como uma pura e dura atividade comercial da qual quer ter um rendimento por aí além”, reiterando ter optado “por não fazer produtos iguais aos outros, mas quis ter uma marca e fazer produtos muitos específicos”.

As margens que colocamos nisto são mínimas para podermos ter sustentabilidade com estes produtos”, o que não permite sequer fazer revenda, adiantou.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Política

O vídeo das nossas vidas

Helena Matos
904

Beija-mão presidencial ao Papa em Monte Real. Um primeiro-ministro a brincar às amas. O país olha para o lado. E indigna-se com o "Correio da Manhã". É a propaganda, senhores. É a propaganda.

Papa em Fátima

«Temos Mãe!»

P. Gonçalo Portocarrero de Almada
700

É natural que os pais se alegrem com os êxitos dos seus filhos, mas não é comum que assumam as suas culpas quando sofrem a tristeza de um filho os ferir com a indignidade de um comportamento criminoso

Felicidade

Portugal

Paulo Tunhas

Acaso Fátima, o Benfica e o “Amar pelos dois” nos vão mudar, para melhor ou para pior, colectivamente, a vida? É claro que não. E pretender o contrário é pura e simplesmente falso.

Global Shapers

O futuro do trabalho

Inês Santos Silva

Já há bots a resolver multas de trânsito, algoritmos a escolher tratamentos para cancro ou a selecionar profissionais. Próximas décadas serão desafiantes, mas há dois vetores a precisar de trabalho.

Autárquicas 2017

As eleições de André Ventura

Rui Ramos

Não há no que André Ventura afirmou qualquer vestígio de “racismo” ou “xenofobia”. Mas este Verão, a nossa oligarquia política precisava de inventar um Trump de palha, desse por onde desse.  

Eleições na Alemanha

Tenham medo, tenham muito medo

Paulo de Almeida Sande

Muitos eleitores do AfD votaram por medo: da invasão dos refugiados; do crescimento das comunidades islâmicas; da diluição da identidade alemã; ou, simplesmente, medo de existir.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site