Logo Observador
Irão

Votação nas presidências iranianas prolongada por mais quatro horas

Os iranianos votaram esta sexta-feira massivamente para eleger o Presidente, com o encerramento das assembleias de voto marcado para as 22h00 locais, mais quatro horas que o previsto.

ABEDIN TAHERKENAREH/EPA

Autor
  • Agência Lusa

Os iranianos votaram esta sexta-feira massivamente para eleger o Presidente, com o encerramento das assembleias de voto marcado para as 22h00 locais (18h30 em Lisboa), mais quatro horas que o inicialmente previsto, devido ao elevado afluxo de eleitores.

O escrutínio é considerado determinante para o futuro do Presidente cessante Hassan Rohani e da sua política de abertura ao mundo comprovada pelo acordo nuclear com as grandes potências. A eleição está a ser encarada como um referendo às políticas do clérigo moderado, 68 anos, que conseguiu legitimar este acordo crucial apesar da oposição dos setores mais conservadores do poder iraniano.

Os reformadores aliados de Rohani exortaram os seus apoiantes a permaneceram nas filas de espera para que possam exercer o direito de voto. O Presidente cessante apresenta-se a um último mandato de quatro anos e defronta o religioso conservador Ebrahim Raissi, 56 anos, próximo do guia supremo, ayatollah Ali Khamenei.

Antes do final da votação, a equipa de Raissi denunciou diversas “infrações” e pediu uma intervenção imediata contra “ações de propaganda de certos responsáveis e apoiantes do governo” que estariam a beneficiar o presidente cessante.

Denunciou ainda um erro na transcrição do seu nome nos boletins de voto e a escassez de boletins nas “zonas desfavorecidas”, onde o candidato conservador garante maior popularidade. Raissi apresenta-se como o “candidato dos pobres” e pretende fornecer prioridade à “economia de resistência”, centrada na produção e nos investimentos nacionais.

Dois candidatos pouco conhecidos, um reformador que apelou a votar em Rohani, e um conservador, também se apresentam ao escrutínio. As projeções indicam que o vencedor deve ser eleito à primeira volta, com os resultados definitivos a serem conhecidos até domingo.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Terrorismo

O terrorismo está a vencer

José Milhazes

Os políticos ocidentais continuam em insistir nas meias-medidas, muitas delas fruto de acordos e apoios duvidosos a grupos e Estados que estão na origem do terrorismo.