Viral

“A Madonna já se tinha mudado para Lisboa em maio”, diz o Museu Nacional de Arte Antiga

470

Num cartaz divulgado quinta-feira, o Museu Nacional de Arte Antiga afirma que, afinal, Madonna veio para Lisboa em maio. Objetivo: chamar a atenção para a exposição "Tesouros dos Museus do Vaticano".

A "Virgem dos Flagelantes", pintada por Vitale da Bologna, por volta de 1350, bem que podia ter valido a Madonna na hora de enfrentar a alfândega portuguesa

Divulgação

Esta Madonna tem mais uns anos em cima, aterrou em Lisboa no dia 19 de maio e veio diretamente do Vaticano. A exposição “Madonna. Tesouros dos Museus do Vaticano”, no Museu Nacional de Arte Antiga (MNAA), termina no domingo, dia 10 de setembro, e o museu aproveitou o momento para trocar as voltas ao público, numa clara alusão ao facto de Madonna, a rainha da pop, se ter mudado para Lisboa há uma semana. Afinal, e seguindo a cronologia, esta chegou primeiro. No título do cartaz divulgado esta quinta-feira pelo museu pode ler-se “ao contrário do que dizem, a Madonna já se tinha mudado para Lisboa em maio”.

O cartaz, divulgado na quinta-feira, fala sobre os últimos dias da exposição. © Divulgação

Por altura da abertura, no dia 18 de maio, o museu fez chegar à cantora um convite para a inauguração da exposição, que estaria hospedada no hotel Ritz, mas parece que as duas Madonnas não chegaram a estar debaixo do mesmo teto.

No final de julho, a exposição já contabilizava mais de 25 000 visitantes. É composta por 73 peças provenientes de algumas das mais importantes coleções de arte do Vaticano, todas elas em torno de um único ícone: a Virgem Maria. Pode ser visitada até domingo, altura em que as virgens regressam a casa, enquanto a cantora de “Like a Virgin” parece ter vindo para ficar.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mgoncalves@observador.pt
Identidade de Género

Totalitarismo

Paulo Tunhas

Age-se como se cada um fosse como um camaleão, pronto a se metamorfosear naquilo a que aspira. Podemos descer na escala dos seres até aos animais ou tornarmo-nos divinos, de acordo com a nossa vontade

Banca

O BES e o novo modelo de supervisão

Helena Garrido

Os casos BES e Banif não teriam acontecido se já tivéssemos o novo modelo de supervisão bancária em discussão pública? As arquitecturas de governação não mudam as pessoas nem alteram os incentivos.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site