Madonna

Madonna partilha vídeo a deitar língua de fora à burocracia: “Sinto-me triste em Lisboa”

5.040

É um vídeo com poucos segundos, publicado no Instagram. Nele, Madonna tira a língua de fora. Na descrição a cantora critica a burocracia portuguesa enquanto espera pelo visto de residência.

Madonna/Instagram

Madonna publicou esta quinta-feira um vídeo no Instagram onde deita a língua de fora. O motivo? Criticar a burocracia portuguesa. “Sinto-me triste em Lisboa”, pode ler-se na descrição do vídeo.

A cantora explica ainda que está à espera do seu visto de residência e revela, em tom de ironia: “O próximo capítulo do meu livro… dançar com a burocracia”. Duas horas depois de ser publicado, o vídeo já ultrapassava as 230 mil visualizações.

No início deste mês, a ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, terá concedido um visto especial de residência a Madonna, depois de uma reunião que teve com a cantora e a advogada no Ministério da Administração Interna.

Madonna recebe visto especial de residência de Constança Urbano de Sousa

Madonna está atualmente a viver no hotel Pestana Palace, com os quatro filhos mais novos. A cantora norte-americana confirmou que está em Lisboa em setembro deste ano, através de uma fotografia no Instagram. “Antes era um caso perdido [basket case], mas agora vivo em Lisboa”, escreveu a cantora norte-americana, na legenda de uma fotografia da cozinha de uma quinta turística em Sintra, decorada com vários cestos de palha [basket], numa publicação no Instagram na altura.

É oficial: Madonna está a viver em Lisboa

Mas a cantora já estava em Portugal há mais tempo. Ao longo do verão, a cantora publicou várias fotografias, nomeadamente com os filhos mais novos da cantora, as gémeas Stella e Esther e David Banda, de 12 anos, que também se mudam para a capital portuguesa. Ele joga nas camadas jovens do Benfica, elas estudam no Liceu Francês.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
CDS-PP

A moção e a censura de um país

José Pinto

A Constituição não limita o direito à censura por parte dos cidadãos. É a essa censura – e revolta indignada - que nenhum Governo pode fugir. Face à censura coletiva, a discussão da moção nada adianta

Incêndios

O fogo e o papel de Portugal

José Barbedo

Enquanto a ocorrência de fogos faz parte do ciclo natural das florestas, a escala dos incêndios que tem ocorrido ao longo das últimas duas décadas era totalmente desconhecida no passado.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site