Pelo menos 201 mineiros morreram e cerca de outros 200 permanecem encurralados após uma explosão, seguida de incêndio, de uma mina de carvão na cidade de Manisa, no nordeste da Turquia, segundo o último balanço da Associated Press.

A explosão teve lugar a 200 metros de profundidade, mas a uma distância de dois quilómetros desde a entrada da mina, e terá sido provocada pela explosão de um transformador eléctrico. A maioria das mortes deu-se por inalação de monóxido de carbono, escreve ainda a Associated Press.

De acordo com o ministro da Energia turco, Taner Yildiz, o acidente ocorreu quando os mineiros se preparavam para a mudança de turno. Estavam 787 pessoas no interior da mina, no momento da explosão, 363 conseguiram escapar.

A operação de salvamento envolve cerca de 400 operacionais, mas o ministro da Energia já admitiu que “as esperanças de encontrar sobreviventes estão a diminuir”. “O tempo está contra nós. Tememos que o número de vítimas ainda venha a aumentar”, disse, acrescentando que alguns dos trabalhadores estavam a mais de 400 metros de profundidade quando a explosão ocorreu, e não puderam usar os elevadores porque o acidente provocou um corte generalizado da electricidade.

A mina pertence a uma empresa privada que emprega 6500 trabalhadores em Soma, Manisa, uma cidade com grandes reservas de carvão.

Acidentes em minas não são caso novo na Turquia, conhecidas que são as suas más condições de segurança. Mesmo assim, o último grande acidente foi apenas em 1992, quando uma explosão vitimou 263 mineiros junto ao porto de Zonguldak, no Mar Negro.