Eleições Europeias

Partido de Marinho e Pinto teria eleito 15 deputados

625

O MPT, o partido pelo qual concorreu Marinho e Pinto, teria eleito 15 deputados se as eleições de ontem fossem para a Assembleia da República.

Candidato eleito para Bruxelas admitiu já que pode concorrer nas legislativas

ANDRÉ KOSTERS

Os cálculos são do Observador e resultam da aplicação do método de Hondt distrito a distrito à votação dos vários partidos.

Três deputados eleitos por Lisboa, quatro pelo Porto, e um deputado pelos círculos de Braga, Aveiro, Coimbra, Leiria, Santarém, Setúbal, Faro e Madeira, eis como o Partido da Terra poderia formar um forte grupo parlamentar. Com a sua votação mais forte na Madeira – onde ultrapassou os 10% –, o MPT beneficia especialmente, nestes cálculos, do seu resultado no Porto, onde teve uma votação muito expressiva, 8,45%, mais até que os 8,22% conseguidos em Coimbra, o distrito onde Marinho e Pinto tem a sua base profissional. Para conseguir eleger tantos deputados, o MPT também beneficiaria de grande dispersão de votos que se registou nestas eleições.

É certo que, se as eleições fossem para a Assembleia da República, a dinâmica eleitoral teria sido diferente e é possível que este partido perdesse muitos dos eleitores para o “voto útil” nos partidos com hipótese de formarem governo. Mesmo assim é de notar a sua forte expressão eleitoral logo na primeira ida às urnas do antigo bastonário da Ordem dos Advogados.

Continuando a utilizar as votações de ontem a aplicando-as aos círculos eleitorais da Assembleia da República, verificamos que poderíamos estar hoje perante um Parlamento muito mais diversificado. Para além do MPT, teriam eleito deputados (todos pelo círculo de Lisboa) o LIVRE e o PAN. No caso do LIVRE, que teve uma votação muito concentrada no círculo da capital, entrariam mesmo para o Parlamento dois deputados.

O LIVRE, que a nível nacional teve uma prestação decepcionante, obtém o seu melhor resultado no concelho de Lisboa, onde fica mesmo à frente do Bloco de Esquerda. Para o sucesso do LIVRE nesta sua muito particular disputa com o BE contribuiram especialmente as votações das freguesias mais ricas ou mais centrais da capital, como as de Belém, Avenidas Novas, Estrela ou Misericórdia.

Oiça as melhores histórias destas eleições europeias no podcast do Observador Eurovisões, publicado de segunda a sexta-feira até ao dia do voto.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Ambiente

A onda verde na UE e os nacionalismos

Inês Pina
133

Se hoje reduzíssemos as emissões de CO2 a zero já não impedíamos a subida de dois graus centígrados. E estes “míseros” dois graus vão conduzir ao fim das calotas polares e à subida do nível do mar.

Eleições Europeias

Os ventos que sopram da Europa

Jose Pedro Anacoreta Correira

É preciso explicar que o combate pela redução de impostos não significa menos preocupação social. É precisamente o inverso: um Estado menos pesado contribui para uma sociedade mais justa. 

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)