Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Um dos suspeitos do ataque ao Museu do Judaísmo em Bruxelas, no dia 24 de maio, foi detido esta sexta-feira em Marselha, no sul de França, segundo o El Mundo – que cita a agência EFE. O primeiro suspeito tinha sido detido no dia do ataque quando tentava fugir na viatura que tinham usado para chegar ao local.

O suspeito, agora detido, tinha em sua posse uma arma automática kalashnikov e um revólver que correspondem aos que foram usados na capital belga e que provocaram a morte de quatro pessoas. Além disso, a bagagem que já tinha no autocarro com destino a Amesterdão, capital da Holanda, tinha munições e um chapéu semelhante àquele com que um dos atiradores tinha sido captado nas imagens de segurança no dia do ataque em frente ao museu.

O homem tem 29 anos e é natural de Roubaix, uma cidade francesa do norte, próxima da fronteira com a Bélgica. A Direção-geral de Segurança Interna francesa já tinha suspeitas que tivesse viajado para a Síria, em 2013, para fazer parte da jihad. Poderá ficar detido até à próxima quinta-feira se for considerado que constitui uma ameaça terrorista iminente.

 

 

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR