O ministro-adjunto do Desenvolvimento Territorial afirmou esta segunda-feira que a parceria entre a PT e a Universidade da Beira Interior (UBI) para a criação de um centro de competências deverá contribuir para a coesão territorial. “É fazendo o que aqui foi feito, ou seja, juntando as competências que existem no sistema científico e no tecido empresarial e relacionando isso com o território que poderemos inverter um processo de perda de coesão territorial e de perda de coesão social”, disse, sublinhando que este processo já se arrasta há décadas no país.

Miguel Poiares Maduro falava na Covilhã, durante a sessão de assinatura de um protocolo entre a PT e a UBI que visa a criação de um centro de competências de computação na nuvem (cloud computing). O projeto consiste na criação de núcleos de especialização (laboratórios), dentro dos quais serão desenvolvidos projetos de investigação e desenvolvimento, sendo que o Laboratório de “certificação profissional” já está no terreno com a realização de cursos na área.

Em setembro, deverá avançar o “laboratório da saúde” e, posteriormente, serão desenvolvidos os laboratórios de “cloud computing” e de “teste de software”. Uma dinâmica que foi destacada pelo ministro-adjunto devido à importância de todo o projeto, o qual classificou como “um instrumento fundamental para o país enfrentar desafios como o do reforço em matéria de competitividade”.

“Temos de enfatizar a importância de projetos como estes, principalmente no interior do país, naquilo que são os chamados territórios de baixa densidade”, sublinhou. O governante, que acabou por estar na génese do projeto ao ter lançado o repto às universidades para que procurassem uma área na qual apostar como centro de competências, referiu ainda que a parceria hoje estabelecida “demonstra que é possível atrair mão-de-obra qualificada” para os referidos territórios e que “é possível inverter a desvalorização económica e social” dos mesmos.

Igualmente presente na cerimónia, o ministro da Educação, Nuno Crato, também salientou a importância do acordo, que “permitirá a transferência de conhecimento e trabalho conjunto numa iniciativa de âmbito internacional”. “Na atividade das universidades é absolutamente decisivo que iniciativas deste género tenham lugar e que exista uma ligação ao tecido empresarial e, nesse sentido, esta parceria, é um exemplo que temos muita honra em testemunhar”, disse.

António Fidalgo, reitor da UBI, também se mostrou satisfeito com a parceria que, recordou, não começou no dia de hoje, uma vez que, tem estado a ser desenvolvida desde o primeiro momento, ou seja, desde que a empresa decidiu instalar na cidade o Data Center. Essa foi aliás a principal razão que permitiu que o centro de competências esteja relacionado com a área do “cloud compunting”, que, entretanto com a investigação que ali se pretende realizar, poderá vir a distinguir a região.

Uma região na qual a PT pretende manter-se de “pedra e cal”, conforme referiu o presidente executivo da PT Portugal, Zeinal Bava, que além de ter sublinhado que a relação com as entidades da Covilhã, em particular com a UBI, é para manter, também prometeu que continuará a fazer investimentos na cidade. Zeinal Bava recordou ainda que o Data Center já permitiu a criação de 110 postos de trabalho, número que deverá aumentar em cinco nos próximos três a seis meses.