Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Portugal seria campeão do mundo após bater, na final, a equipa do México, caso a competição fosse decidida através do apuramento da maior percentagem de pessoas que professam a religião católica sobre a população total. Esta é uma das conclusões que estão estampadas numa infografia que está disponível no site do Wall Street Journal dedicado ao campeonato mundial de futebol de 2o14, que decorre no Brasil.

A infografia, intitulada The world cup of everything else [“O campeonato do Mundo de tudo o resto”] e elaborada com base em dados da Pew Research, indica que a população portuguesa é constituída, em 92,3%, por católicos, o que seria suficiente para derrotar a seleção do país da América do Norte. Outra competição em que Portugal faria boa figura seria a que colocasse em confronto os países que apresentam as mais elevadas taxas de consumo de bebidas alcoólicas. Neste campeonato, apenas a Rússia teria argumentos para superar os lusitanos, com a marca recorde de 15 litros anuais por habitante.

O Wall Steet Journal apresenta os campeões do mundo em 70 modalidades, desde o número de restaurantes McDonald’s, em que os Estados Unidos não dão hipóteses, à mais elevada quantidade de utilizadores do Twitter, disciplina em que a taça vai para o México. A Suíça tem o mas elevado número de prémios Nobel por habitante, enquanto o Irão se revela imbatível quando se trata de ordenar as nações que participam no Mundial 2014 pela taxa de vítimas mortais em acidentes rodoviários.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR