Ricardo Quaresma admitiu hoje não entender as razões para o selecionador Paulo Bento o ter deixado de fora dos eleitos para o Mundial de futebol de 2014 e confessa alguma desilusão pela atuação de Portugal no Brasil.

Numa entrevista à TVI e ao Maisfutebol, o extremo do Porto, que chegou a integrar a lista de 30 pré-convocados, afirmou ter ficado triste com a decisão de Paulo Bento, pois estava confiante, pelo que fez no Porto, que podia estar no Mundial.

“Sinceramente, ainda não entendo a justificação do selecionador (Paulo Bento), mas respeito. Acho que criaram o mito de que eu não defendo”, acrescentou Ricardo Quaresma, apontando esta como a causa para ter falhado a presença no Brasil, onde a seleção lusa foi eliminada na primeira fase.

Ricardo Quaresma aponta os jogos realizados pelo Porto desde janeiro como prova de que, presentemente, é um jogador diferente do que era há três ou quatro anos.

“Estou um jogador diferente, de equipa”, aponta Quaresma, que abordou ainda a influência de a seleção lusa carregar o nome do melhor jogador do mundo, Cristiano Ronaldo.

De acordo com Ricardo Quaresma, “nenhum jogador do mundo consegue resolver um jogo, se não tiver os colegas atrás, assim como os outros jogadores não se sentem bem por falarem só num jogador”.

Questionado sobre a continuidade de Paulo Bento, Ricardo Quaresma afirmou que se o treinador acha que tem qualidade e talento para voltar a por a equipa a jogar e voltar a alcançar os objetivos que todos os portugueses esperam, não vê porque não.

“Acho que não sou eu que tenho de dizer se é bom ou se é mau”, concluiu Ricardo Quaresma, que não coloca de parte a hipótese de poder voltar a representar Portugal.