Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A autoridade dos serviços financeiros do Dubai (DFSA) afirmou nesta quinta-feira que tem conhecimento da existência de um plano de reestruturação do Grupo Espírito Santo (GES) e admite que este pode ter efeitos sobre o banco dos Espírito Santo no Dubai, o ES Bankers, mas garante que este tem capital suficiente.

“A DFSA tem conhecimento do existência de um plano de reestruturação do alargado Grupo Espírito Santo, que pode ter efeitos no ESFG [Espírito Santo Financial Group] e no ESBD Limited [ES Bankers, do Dubai]”, afirmou a autoridade em comunicado, depois de questionada pelo Observador sobre a situação da subsidiária da Espírito Santo Financial Group np Dubai.

“Vamos avaliar os efeitos potenciais das entidades acima mencionadas [ESFG e ES Bankers] quando o plano for divulgado. A DFSA está em contacto com a firma e com os restantes reguladores relevantes nesta matéria”, acrescentou.

A holding que gere as participações financeiras do Grupo Espírito Santo, ESFG, também detém a maioria do capital desta subsidiária no Dubai, integrada no Dubai International Financial Centre, uma espécie de zona franca nos Emirados Árabes Unidos, que tem o seu próprio sistema judicial de tribunais próprios e autónomos do resto dos Emirados.

Neste sentido, a autoridade que supervisiona a subsidiária da ESFG diz que esta cumpre as regras estabelecidas pelo Dubai International Financial Centre, e que está tem níveis de capital adequados.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR