Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A Espírito Santo Financière, uma das entidades do Espírito Santo Financial Group, tornou-se esta sexta-feira a quarta entidade do GES a pedir proteção contra credores no Luxemburgo, informou o ESFG em comunicação ao mercado.

“A ESFIL – Espírito Santo Financière S.A., detida a 100% pela ESFG, apresentou aos Tribunais do Luxemburgo o pedido de gestão controlada (‘Gestion Contrôlée’) da empresa devido ao facto de esta não estar em condições de cumprir as suas obrigações no âmbito do programa do papel comercial, nem as obrigações relacionadas com as suas dívidas”, diz o comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Esta é quarta entidade do grupo a pedir proteção contra credores no Luxemburgo, depois do ESFG, Rioforte e ESI.

O pedido de proteção contra credores pode agravar ainda mais a situação do BES, que nos resultados do primeiro semestre apresentados esta quarta-feira – onde registou 3,58 mil milhões de euros de prejuízos – dava conta que a exposição à ESFG tinha aumentado exponencialmente nos últimos seis, mais que triplicou, em especial a duas entidades: o ES Bank do Panama, cujos problemas levaram a que os reguladores do Panamá tomassem o controlo do banco, e também a ES Financière.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR