O BBVA estimou nesta terça-feira que a economia portuguesa tenha crescido 0,2% em cadeia no terceiro trimestre deste ano, depois de ter crescido 0,3% no segundo trimestre face aos três meses anteriores. Num relatório sobre Portugal hoje divulgado, o BBVA refere que a retoma da produção industrial (+0,8% em julho face a junho) “reflete os níveis elevados dos indicadores de confiança na indústria, embora estes pareçam ter atingido um nível máximo no segundo trimestre de 2014”.

O banco espanhol sublinha ainda que as vendas a retalho recuperaram, que a taxa de desemprego registou uma “evolução positiva” e que as exportações de bens e serviços (e particularmente o turismo) “progridem positivamente”, considerando ainda que “a evolução de encomendas para exportação pressagia a manutenção dessa tendência”. Por isso, o modelo de crescimento estimado pelo BBVA aponta para um crescimento de 0,2% no terceiro trimestre face aos três meses anteriores.

Os economistas do BBVA escrevem que, ao longo do terceiro trimestre, a procura interna deverá ter substituído as exportações líquidas como “principal motor de crescimento, depois de ter contribuído negativamente para o crescimento no segundo trimestre de 2014 (-0,5 pontos percentuais)”. O banco espanhol destaca ainda que “desde o início do ano que se nota um desempenho melhor do que o esperado dos fundamentos económicos internos”, o que se deve sobretudo à evolução do desemprego e da confiança dos consumidores.

O Instituto Nacional de Estatística (INE) revelou que o Produto Interno Bruto (PIB) cresceu 0,3% em cadeia no segundo trimestre de 2014.