O tom é irónico e a mensagem clara. O Guardian publicou um vídeo, esta sexta-feira, onde dá cinco dicas rápidas que prometem ajudar futuras artistas da música pop a ascender ao estrelato (em 2014). Tal como a jornalista Harriet Gibsone explica, o sucesso gira em torno do cariz sexual do corpo feminino que é enfatizado por personalidades que somam êxitos musicais atrás de êxitos, como Nicki Minaj, Meghan Trainor e Ariana Grande. São ainda estabelecidas diferenças óbvias entre celebridades do sexo feminino e masculino, com a balança dos estereótipos sociais a pender para as mulheres. Mas já lá vamos.

Para ser-se, então, um ícone “pós-feminista” em 2014 é preciso:

1. Definir a identidade com uma canção, a qual deverá ter, invariavelmente, a contribuição de um homem e uma conotação sexual. A jornalista faz questão de evidenciar que, agora, o visual pretendido é um corpo curvilíneo e refere ainda a existência de uma desconstrução da imagem feminina.

I’m bringing booty back
Go ahead and tell them skinny bitches Hey
No, I’m just playing I know you think you’re fat,
But I’m here to tell you that,
Every inch of you is perfect from the bottom to the top

MeghanTrainor – Música AllAboutThatBass

2. Basear-se no que passa nos meios de comunicação em vez de aprofundar as temáticas vigentes, como no caso do feminismo: a crítica resvala para as noções erradas (e pouco exploradas) do conceito adotadas em geral e mostra a performance de Beyoncé nos VMA deste ano.

3. Dizer mal de alguém no Twitter, sugerindo que a guerra digital de palavras é uma forma de lembrar os fãs que se está vivo. “Idealmente escolha outra mulher”, porque nada une mais o género.

4. Fazer um vídeo musical viral, onde o corpo da mulher é altamente explorado, ignorando os urgentes debates culturais sobre feminismo.

https://twitter.com/TeamNicki_Spain/status/522037235777290241

5. Fazer publicidade à marca de auscultadores Beats by Dre porque, aparentemente, “todas” as celebridades femininas o fazem.

Mas caso queira ser um artista famoso, em versão masculina, basta fazer e vestir o que quiser, aparecer aos eventos e às entrevistas, construir o vídeo musical que lhe convier e… continuar a existir.