A Agência Espacial Europeia (ESA) vai lançar uma incubadora para empresas portuguesas no dia 5 de novembro. A Business Incubation Center visa apoiar projetos que apliquem tecnologia do espaço em setores como saúde, energia, transportes, segurança e vida urbana. Objetivo: promover a criação de sartups no domínio da transferência de tecnologia espacial.

Durante cinco anos, a ESA prevê apoiar até 30 empresas e criar 120 novos postos de trabalho, com um investimento de cerca de oito milhões de euros. A gestão e implementação da incubadora vai ficar a cargo do Instituto Pedro Nunes, incubadora e aceleradora de empresas tecnológicas líder em transferência de tecnologia em Portugal, e conta com a colaboração do parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto e da agência DNA Cascais.  

“Este programa tem características únicas, dado promover o surgimento de startups baseadas em tecnologias ‘state-of-the-art’ já testadas em aplicações espaciais, que dotam estas empresas do potencial para criar inovações disruptivas e talhadas para mercados globais”, explicou Carlos Cerqueira, diretor do Departamento de Inovação do Instituto Pedro Nunes.

O lançamento da incubadora realiza-se no âmbito do 5º Fórum Português do Espaço e coincide com o lançamento da Plataforma Embaixadora do Programa de Telecomunicações da ESA, no dia 5 de novembro, a partir das 09h30, no Pavilhão do Conhecimento, Parque das Nações, em Lisboa.

A aplicação da tecnologia espacial em setores tão terrestres como a saúde ou energia não é novidade em Portugal. A Critical Software desenvolveu uma técnica de transferência de tecnologia espacial para o setor automóvel (csXception4Aut), que tem como objetivo aumentar a confiabilidade, acessibilidade e segurança dos carros do futuro.

A Active Aerogels, outra empresa portuguesa, desenvolveu um aerogel inovador para isolamento de naves espaciais que pode ser aplicado, por exemplo, no isolamento térmico de oleodutos.

Desde novembro de 2000, que Portugal é Estado-Membro da ESA. O estudo de impacto sobre a participação de Portugal na ESA indica que cerca de 60 empresas e perto de 20 universidades portuguesas já desenvolveram projetos com a agência, num total de contratos para Portugal, que ultrapassam os 90 milhões de euros.