O mundo é irónico. Então não é que o homem que decidiu viver de forma humilde, doando 85% do ordenado, recebeu uma proposta de 800 mil euros pelo carro dele? Esta é a história de José Mujica, o “presidente mais pobre do mundo”, que está em vésperas de abandonar a presidência do Uruguai, conta o International Business Times.

Em 2010 revelou que não tinha bens, nem fortunas e posses. Com uma exceção: o Volkswagen Carocha azul, de 1987. A relíquia está avaliada em pouco mais de dois mil euros, mas um Sheik ofereceu-lhe qualquer coisa como 800 mil euros. Afinal, o único bem que possui é bem mais valioso do que se podia imaginar.

A oferta teve lugar na Bolívia, em junho, à margem de um encontro do grupo G77-China, e partiu de um Sheik. “Eu olhei para ele outra vez e perguntei-lhe para repetir porque não acreditei no que estava a ouvir”, afirmou à revista Búsqueda, no alto dos 79 anos de idade. Mas esta nem foi a única oferta pelo “fusca”, como dizem os brasileiros. Em setembro, o embaixador do México no Uruguai, Felipe Enriquez, ofereceu-lhe em troca dez tratores, mas nada. Enriquez disse à Búsqueda que era um “profundo admirador de Mujica, pelo legado, os valores humanos, pelas palavras de solidariedade para com os mais necessitados”. O embaixador ofereceu-se ainda para organizar um leilão para o carro no Uruguai.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Eu fiquei surpreendido com tudo isto. Primeiro fiquei na dúvida e não liguei muito, mas depois recebi outra oferta e já a levei mais a sério”, contou Mujica. O ainda presidente uruguaio é conhecido mundialmente pelo estilo de vida humilde e por ter aberto a porta (e aprovado) o casamento homossexual, o aborto e o consumo de marijuana. Mujica ainda não decidiu se vai vender o carro, mas se o fizer já se sabe para onde vai o dinheiro: Plan Juntos, um projeto habitacional do governo que ele promoveu.