O presidente da Câmara e da concelhia social-democrata de Paredes, Celso Ferreira, apresenta hoje a candidatura à distrital do PSD/Porto, que considera ser uma “lufada de ar fresco” numa estrutura onde há 17 anos não há disputa eleitoral.

O líder da distrital do PSD/Porto, Virgílio Macedo, já anunciou a recandidatura ao cargo para as eleições de 06 de dezembro, marcadas para esta data na sequência do pedido de antecipação feito pelo próprio por considerar que as questões internas têm que ficar resolvidas para que em 2015 o partido esteja focalizado e mobilizado para ganhar as legislativas.

Para terça-feira, pelas 18h30, na sede da distrital do PSD/Porto está marcada a apresentação da candidatura de Celso Ferreira, que em antecipação à agência Lusa afirmou que “deve ser entendida como uma lufada de ar fresco numa distrital que não é disputada há 17 anos”, ou seja, há 17 anos que no PSD/Porto não há duas listas às eleições distritais.

“Tivemos ciclos vitoriosos liderados por Luís Filipe Menezes e por Marco António Costa, mas o ciclo liderado por Virgílio Macedo levou o PSD aos piores resultados autárquicos”, criticou.

O presidente da Câmara de Paredes quer assim “dar aos militantes a possibilidade de fazer uma opção”, para assim “devolver o PSD/Porto à liderança da opinião pública e para que a população do distrito se volte a rever no PSD”.

De acordo com a notícia avançada segunda-feira pela agência Lusa, o manifesto eleitoral da recandidatura de Virgílio Macedo à distrital do PSD/Porto, intitulado “uma candidatura agregadora”, é subscrito pelos presidentes de 16 das 18 concelhias, ficando de fora até esse dia Paredes e o Porto.