Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O ex-primeiro-ministro socialista, José Sócrates, foi detido sexta-feira, confirmou a Procuradoria-Geral da República (PGR). O processo liderado pelo Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) está relacionado com suspeitas dos crimes de fraude fiscal, branqueamento de capitais e corrupção.

José Sócrates foi detido à chegada ao aeroporto da Portela, em Lisboa. A SIC Notícias captou imagens do carro da PSP a sair do parque de estacionamento com o ex-governante no interior pelas 22h00.

O DCIAP refere numa nota oficial que três dos detidos já foram ouvidos durante esta sexta-feira. Os interrogatórios vão continuar este sábado, e José Sócrates será também ouvido. Ao que tudo indica, o ex primeiro-ministro foi libertado e notificado para comparecer no Campus de Justiça.

O jornal Sol diz (também sem confirmação oficial) que estará em causa uma casa em Paris que foi habitada por José Sócrates quando este deixou o Governo, segundo avança o jornal Expresso. O inquérito, conduzido pelo procurador Rosário Teixeira, pretenderá apurar como foi paga a casa avaliada em três milhões de euros. Sócrates sempre afirmou ter pedido um empréstimo para pagar o apartamento.

A Inspeção Tributária de Braga esteve envolvida na investigação a pedido do MP, com mais de 40 pessoas nos últimos dois dias, uma informação confirmada pelo Observador. A PSP colaborou na detenção. O juiz de instrução Carlos Alexandre terá acompanhado as diligências.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR