Caso José Sócrates

Mário Soares diz que Sócrates foi tratado como um “cão”

1.322

Em entrevista à TVI, Soares garantiu ainda que não pretende pressionar a justiça e não acredita que os indícios contra Sócrates sejam "verdadeiros".

© Hugo Amaral

Depois das declarações prestadas à saída do Estabelecimento Prisional de Évora onde se encontra detido o ex-primeiro-ministro, Mário Soares voltou a falar à comunicação social. À jornalista Constança Cunha e Sá, da TVI, o ex-chefe de Estado respondeu que José Sócrates é vítima na forma como está a ser tratado: “Então acha que um antigo ministro é agarrado por polícias? Vão a casa buscar-lhe os papéis (…) Fazer toda a espécie de tropelias. Põem-no a viver como se fosse um cão, aqui, ali, acolá”. Referiu ainda que a polícia e “os que mandam na polícia” estão a tratá-lo mal.

Mário Soares, que completa 90 anos na próxima semana, garantiu, no excerto de curta duração emitido em horário nobre pelo canal televisivo, que nunca foi sua intenção pressionar a justiça. Quando questionado por Constança Cunha e Sá se tinha medo que as suas intervenções pudessem ser vistas como uma forma de pressão, respondeu: “Não, não tenho medo disso. Nunca fiz pressão sobre a justiça e não era hoje que ia fazê-lo”.

Apesar disso considera que o processo jurídico que empurrou o ex-primeiro-ministro para a prisão de Évora não foi “normal”, acrescentando que “não houve julgamento prévio”. No que aos indícios diz respeito, Soares esclarece que “é preciso saber se são verdadeiros”.

A visita que durou pouco mais de uma hora, realizada na manhã de quarta-feira, ditou um reencontrou emocionado entre Mário Soares e José Sócrates. O ex-chefe de Estado garante que o detido recebeu-o de lágrimas nos olhos e que os dois se abraçaram. “A mim comoveu-me muito e ele também”, referindo que Sócrates não estava à espera daquela receção depois de “ter sido tratado como foi”.

Já antes Soares tinha deixado claro qual o seu ponto de vista tendo em conta o “caso Sócrates”. À comunicação social comentou “Isto é uma malandragem daqueles tipos que atuam mas que que não fizeram nada”, referindo-se indiretamente à investigação. “Isto não tem nada a ver com os socialistas, tem a ver com os malandros que estão a combater um homem que foi um primeiro-ministro exemplar”. “Isto é tudo uma infâmia. (…) Afinal o que é que ele fez?”. Mário Soares terminou a intervenção televisiva desta quarta-feira com um elogio ao ex-primeiro-ministro: “Na minha opinião, José Sócrates tem sofrido muito e tem tido uma coragem extraordinária. Estive muito tempo a falar com ele para perceber isso”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: acmarques@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)