Estado Islâmico

Centenas de soldados britânicos chegam ao Iraque no próximo mês

O Reino Unido vai enviar centenas de soldados para o Iraque para dar treino às forças iraquianas e curdas contra o Estado Islâmico. Também Portugal vai enviar soldados para o Iraque, diz o Público.

Soldados iraquianos e curdos vão receber formação para combater por terra o Estado Islâmico.

AFP/Getty Images

Autor
  • Marlene Carriço

O ministro da Defesa britânico, Michael Fallon, revelou ao Telegraph que vão ser enviados em janeiro “poucas centenas” de soldados britânicos para o Iraque, para dar formação às tropas iraquianas e curdas. Neste momento há 50 soldados britânicos no Iraque a darem treino às forças locais.

O anúncio do envio de soldados para o Iraque, o primeiro significativo desde que se retiraram as tropas do país há três anos, marca uma nova fase da guerra contra o Estado Islâmico e do envolvimento da Grã-Bretanha na luta contra os jihadistas no Iraque e na Síria.

Nos últimos meses a Força Aérea Real britânica tem levado a cabo vários ataques aéreos contra o Estado Islâmico, só sendo ultrapassada pelos Estados Unidos. Mas esses ataques aéreos têm forçado o Estado Islâmico a mudar de tática, mantendo-se quieto nas cidades. Por isso mesmo estão agora a ser acelerados os meios para avançar com a guerra terrestre.

“Eles estão cada vez mais afastados, em cidades e aldeias. Isso significa que têm de ser erradicados por tropas terrestres”, explicou o ministro da Defesa, acrescentando que tal tem de ser feito por um exército próprio e experiente. Mas como as forças iraquianas não têm o treino, o equipamento e especialistas que precisa para derrotar os jihadistas, os soldados britânicos vão para lá dar formação a partir de janeiro.

Basicamente, estes soldados vão dar formação em termos de técnicas de eliminação de bombas, por exemplo, adquiridas com largos anos de experiência no Afeganistão. “O nosso papel agora, além dos ataques aéreos, está cada vez mais vai ser em formação”, disse ele. Em particular, isso significa lidar com carro e caminhão bombas e dispositivos de beira de estrada, bem como habilidades básicas de infantaria.

Ainda sem números precisos, o ministro revelou que serão poucas centenas de soldados e que ficarão instalados em quatro “áreas de segurança”, uma em território curdo e os outros três mais perto de Bagdade.

Portugal também vai treinar militares iraquianos

Não são só os soldados britânicos que vão dar formação no Iraque. Segundo a edição deste sábado do Público, também militares portugueses – menos de uma centena, de acordo com o diário – vão participar em ações de formação e treino da tropa iraquiana. Este tema, que decorre da nova fase da política portuguesa face às atividades do jihadismo, estará em cima da mesa na reunião do Conselho Superior de Defesa Nacional na terça-feira e a decisão surge depois da reunião da coligação internacional contra o EI, realizada no início de dezembro em Bruxelas.

Essa encontro, de âmbito político e diplomático, reuniu os 60 estados-membros da coligação. Depois dessa reunião, também o general norte-americano James Terry revelou recentemente que os Estados Unidos vão enviar mais 1.500 soldados para o Iraque para darem formação.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)