O Barcelona não poderá inscrever qualquer novo jogador em 2015. Até poderá ir às compras, mas, durante um ano, o clube está proibido de levar as compras para casa — o Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) deu razão à FIFA, que aplicou inicialmente o castigo, e torceu o nariz ao recurso apresentado pelos catalães. Ou seja, o Barça, nesta e na próxima janela de transferências, no verão, não poderá acrescentar nomes às listas de jogadores que enviar para as competições nas quais participará. Mas Luis Enrique, o treinador, vê coisas positivas no castigo.

A começar pelas oportunidades que acabarão por surgir. “É um grande estímulo para os jogadores jovens”, começou por vaticinar, escreve o jornal Sport, ao garantir que a sanção será, ao mesmo tempo, “um convite para ver o nível” dos novatos do clube. E, bruxo ou não, talvez prevendo o castigo, Luis Enrique até já deu minutos a vários miúdos do clube. “Este clube”, como lembrou o treinador, “sempre se caracterizou por olhar para a cantera“.

VILLARREAL, SPAIN - AUGUST 31:  Munir (R) of Barcelona is closed down by Mateo Pablo Musacchio of Villarreal during the La Liga match between Villarreal CF and FC Barcelona at El Madrigal stadium on August 31, 2014 in Villarreal, Spain.  (Photo by Manuel Queimadelos Alonso/Getty Images)

Munnir marcou logo na primeira jornada da La Liga e Vicente Del Bosque, selecionador espanhol, entretanto, até o fez estrear na seleção. Foto: Manuel Queimadelos Alonso/Getty Images)

Os 19 anos de Munir El Haddadi, por exemplo, vai com 688 minutos contados na equipa e, na primeira jornada, inclusive, marcou um golo contra o Elche — este, aliás, promete tanto que a seleção espanhola também lhe deu uns minutos para salvaguardar que o extremo optasse em jogar por Marrocos (tem dupla nacionalidade). Depois tem havido um pouco de Sandro Ramírez, outro extremo, espanhol de gema que, com menos tempo no relvado (260 minutos), até deu mais nas vistas. Já marcou quatro golos: dois na liga espanhola, um na Copa do Rey e outro na Liga dos Campeões. E também só tem 19 anos.

Depois há ainda Sergi Roberto, um protótipo, de 19 anos, que o Barça espera ver à imagem de Iniesta, ou Alen Halilolic, extremo croata de 18 anos, canhoto, que o clube contratou no último verão ao Dínamo de Zagreb e a quem augura uma explosão de talento para breve.

Quatro nomes que, por enquanto, ainda estão por Barcelona. Porque outros há que estão noutras paragens a jogar e que, na próxima época, estarão de volta — para jogarem. “Os jogadores que temos cedidos podem ser boas opções para nos ajudarem no futuro”, lembrou, também, Luis Enrique. E bem, pois o castigo do TAS não invalida que o Barcelona possa inscrever jogadores que já integram os seus quadros. Ou seja, os emprestados.

https://twitter.com/barcastuff/status/551390507537272834

Um deles até está em Portugal. Cristian Tello, extremo direito, campeão europeu de sub-21, em 2012, estará com o FC Porto, em teoria, até ao final da época 2015/2016 — o contrato de empréstimo, alegadamente, só pode ser interrompido caso o espanhol regresse à primeira equipa do Barça. Tal e qual Gerard Deulofeu e Dénis Suárez, outros dois extremos rápidos, emprestados ao Sevilha.

Depois existe Alex Song, trinco camaronês, que nunca saiu da sombra de Sergio Busquets, que foi passar um ano a Londres, onde se encontra a jogar pelo West Ham. Ou Ibrahim Afellay, holandês, hoje com 28 anos, que cumpre outro empréstimo na Grécia, com o Olympiakos.

Na próxima temporada, estes seis nomes serão o mais parecido que o Barça terá com reforços. De resto, o castigo “não quer dizer que não saia nenhum jogador”, acautelou Luis Enrique. Em 2015, contudo, haverá também mais um reforço, já que não chegou a pisar a relva em 2014 — o belga Thomas Vermaelen, defesa central comprado ao Arsenal, que ainda nem se estreou pelo clube devido a uma lesão.