O antigo ministro socialista, Vera Jadim, considera que José Sócrates deve defender-se “mesmo violando alguns deveres legais”, como terá feito quando respondeu às perguntas dirigidas pela TVI. O antigo governante diz que Sócrates tem o direito a defender-se com armas aproximadas quando está em causa “o direito ao bom nome” e “à sua reputação”.

Vera Jardim proferiu estas declarações durante o programa Falar Claro da Rádio Renascença. “É um processo político na visão dele, contra ele pessoalmente. Está sobretudo no direito de se defender, mesmo – repito -, mesmo que tivesse que violar algumas normas, regulamentos, seja o que for porque o interesse que está aqui em causa é mais forte e mais nobre [que esses regulamentos]”, argumenta o advogado e antigo ministro da Justiça.

Já o social-democrata, Morais Sarmento, que também intervém neste programa, considera que “Sócrates procura criar um segundo combate dentro do processo, um combate que ele possa ganhar para ser a alavanca de Arquimedes” e que Carlos Alexandre cometeu um erro ao proibir entrevista do ex-primeiro-ministro ao Expresso. “José Sócrates que é politicamente mais treinado que o juiz Carlos Alexandre sabe ver, aproveita esse erro e vai dar uma entrevista à TVI. Ele quer que o combate seja sobre a entrevista, porque sai dos atos irregulares que possa alegadamente ter cometido e ficamos aqui num combate de liberdades fundamentais”, alega Sarmento.