Neymar e Messi no banco é coisa para ser notícia. E foi. O golo da Real Sociedad aconteceu cedo, muito cedo, e Neymar, no seu estilo gingão e bem-disposto, chamou o craque argentino, piscou-lhe o olho e disse para aquecer, como quem diz “vai lá resolver isto”. Depois riram-se, despreocupados. Os dois até entraram mas não deram a volta ao resultado e o Barcelona perdeu no Anoeta. Luis Enrique, que até conquistava a liderança da Liga caso vencesse, ficou debaixo de fogo. Na segunda-feira, Messi faltou a um treino aberto aos adeptos. Mas não ficou por aí: começou a seguir o Chelsea, Courtois e Felipe Luís no Instagram. Será um interesse genuíno ou uma forma de pressionar o despedimento de Luis Enrique? É que não há medo maior na Catalunha do que ver Messi partir…

https://www.youtube.com/watch?v=TftxQC89G14

O Barcelona é um prédio em chamas. Primeiro, os culés ficaram impedidos de inscrever jogadores até janeiro de 2016. Depois, o diretor para o futebol Zubizarreta responsabilizou o presidente, Josep Maria Bartomeu, pelo castigo e acabou despedido. Puyol, ex-capitão e com responsabilidades diretivas, também saiu. E agora, segundo a imprensa espanhola, a direção catalã terá feito um ultimato ao treinador Luis Enrique: ou vence o Elche e o Atlético Madrid ou adiós.

Se problemas no mercado e confusões diretivas são ultrapassáveis num clube enorme como o Barcelona, as hesitações ou insinuações de Messi são levadas muito a sério. No tal jogo contra a Real Sociedad, o primeiro do ano, Neymar, Messi e Dani Alves ficaram no banco porque, segundo o treinador, não terão treinado o suficiente para jogar. Mas o problema é que, conta o Daily Mail, Luis Enrique autorizou os três jogadores a prolongarem as férias em dois dias. Daí a insatisfação dos atletas.

3 fotos

A história do Instagram pode ser apenas uma feliz, ou infeliz, coincidência, até porque o canhoto também segue o Manchester City. Mas as redes sociais são e serão sempre uma arma de arremesso, por isso todas as movimentações do argentino são seguidas com especial atenção. A Marca fala em rutura total entre o jogador e o treinador. A ausência do treino pós-derrota foi justificada pelo clube com uma gastroenterite, mas a Marca garante que se deve à insatisfação pela condição de suplente em San Sebastián. Já o Mundo Deportivo mostra imagens da Cuarto, nas quais Messi aparece à chegada da Ciutat Esportiva Joan Gamper, para se encontrar com os médicos. Já se sabe, a Marca é de Madrid e gosta de explorar as telenovelas do principal rival, enquanto o Mundo Deportivo é afeto aos blaugrana. É assim e ninguém tenta esconder.

E isto tudo poderia cair em saco roto não fossem os inúmeros rumores da transferência de Messi para o Chelsea de José Mourinho. Em novembro, o Express dava conta do interesse dos ingleses e da potencial parceria com a Adidas, que ajudaria a pagar o jogador, numa transferência avaliada em qualquer coisa como 250 milhões de euros. Ainda que o cenário pareça pouco provável, até pela relação difícil com Mourinho enquanto treinador do Real Madrid, é importante lembrar que o foi também quando se falava de Fàbregas para os blues. E aconteceu. Não menos importante é referir que Fàbregas e Messi são bons amigos. O catalão até já expressou que “adorava” que o Chelsea contratasse o craque argentino. As casas de apostas estão também a mexer com este cenário…