Houve esta quinta-feira uma explosão num restaurante, uma “kebab shop”, em Villefranche-sur-Saône, na cidade francesa de Lyon. A notícia está a ser avançada pela imprensa francesa, que diz que não há relatos de feridos mas não esclarece a origem da explosão.

“Foi um ato criminoso”, afirmou fonte policial à Agence France Presse. Foi aberta uma investigação, não havendo, para já, qualquer relação estabelecida com o atentado de quarta-feira à redação do Charlie Hebdo, em Paris.

Este não foi o único incidente nas proximidades de locais de culto muçulmano. Em Mans (oeste), foram lançadas três granadas de exercício e feito pelo menos um disparo contra uma mesquita num bairro popular pouco depois da meia-noite.

Em Port-La-Nouvelle (sul), foram feitos disparos contra uma sala de oração muçulmana durante a noite, cerca de uma hora depois do fim da oração, disse à agência France Presse o procurador em Narbonne (Aude), David Charmatz.

“Obviamente é alguém que se quis vingar”, declarou Charmatz, interrogado sobre uma possível ligação com o mortífero atentado de quarta-feira contra o semanário em Paris, pelo qual são procurados dois irmãos.

O presidente da câmara da cidade, Bernard Perrut, admitiu que o ato possa estar ligado à “situação dramática” criada pelo atentado da véspera, apelando “à coesão, unidade e respeito”.