Os rebeldes do Boko Haram mataram 15 pessoas na sexta-feira perto de Maiduguri, cidade do noroeste da Nigéria que é o bastião do grupo radical, segundo a AFP. O presidente Goodluck Jonathan tinha agendado para este sábado um comício na cidade, onde quer lançar a sua recandidatura à presidência. As eleições estão marcadas para 14 de fevereiro.

“Os terroristas atacaram a vila de Kambari, a menos de cinco quilómetros de Maiduguri, por volta das 5h. Mataram 15 pessoas e incendiaram toda a aldeia”, disse uma fonte de segurança, sob anonimato, citado pela agência noticiosa.

O noroeste da Nigéria é alvo de constantes ataques dos Boko Haram, desde que o grupo iniciou a sua campanha para impor a Sharia no norte do país, maioritariamente muçulmano, em 2009. Foi precisamente em Maiduguri que o grupo foi criado, em 2002. O presidente nigeriano não visita a cidade desde maio de 2013.

Prevê-se que as eleições de fevereiro sejam um desafio para Goodluck Jonathan, que enfrenta a oposição de um antigo líder militar muçulmano, Mohammadu Buhari.

O exército nigeriano tem sido criticado por não conseguir conter a rebelião do Boko Haram. Os soldados queixam-se de falta de armamento. O Níger, o Chade e os Camarões lançaram uma ação conjunta para combater os rebeldes.

Os ataques e os raptos levados a cabo pelo Boko Haram já fizeram pelo menos 13 mil mortos. Estima-se que cerca de 1,5 milhões de nigerianos sejam refugiados no seu próprio país.