Cobras — a atormentar o mundo há 167 milhões de anos. Pelo menos. A revista Nature Communications publicou esta terça-feira um estudo que vem demover as anteriores conclusões quanto à história das cobras. Afinal, estes répteis não existem só há 100 milhões de anos. Os cientistas em causa analisaram fósseis de quatro cobras pré-históricas que tinham idades compreendidas entre os 140 e os 167 milhões de anos.

Eophis underwoodi é a cobra mais antiga registada pelos autores do estudo. Foi encontrada perto de Kirtlington, no sul de Inglaterra. Segundo os autores da investigação, as cobras da altura têm semelhanças com as cobras de hoje. Referem, por exemplo, os “dentes curvos” e a fisionomia dos maxilares. Michael Caldwell, um dos cientistas envolvidos no estudo, diz que a evolução das cobras é “mais complexa” do que parece.

O vídeo com imagens dos fósseis encontrados está aqui.