804kWh poupados com a
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Jordânia vai negociar com o Estado Islâmico libertação de terrorista

Este artigo tem mais de 5 anos

A Jordânia assumiu estar disposta a libertar a terrorista Sajida al-Rishawi, caso o Estado Islâmico cumpra a promessa de libertar o piloto da Força Aérea Moaz al-Kassasbeh, capturado na Síria.

Kenji Goto (na foto) no momento em que lê as exigências do Estado Islâmico para a libertação dos dois reféns
i

Kenji Goto (na foto) no momento em que lê as exigências do Estado Islâmico para a libertação dos dois reféns

Kenji Goto (na foto) no momento em que lê as exigências do Estado Islâmico para a libertação dos dois reféns

A Jordânia está disposta a libertar a terrorista Sajida al-Rishawi – militante da Al-Qaeda, condenada por atentados contra hotéis da capital Amã que vitimaram 60 pessoas em 2006 – se o Estado Islâmico (EI) aceitar libertar o piloto da Força Aérea jordana Moaz al-Kassasbeh, segundo avança o canal de televisão público daquele país.

A informação foi dada pelo próprio ministro da Informação da Jordânia, Mohammed Momani. O país liderado pelo rei Abdallah II parece estar, assim, disposto a negociar com a organização terrorista, que divulgou um vídeo onde ameaça matar em menos de 24 horas os dois reféns – o japonês, Kenji Goto e o jordano Moaz al-Kassasbeh – caso a Jordânia não libertasse Sajida al-Rishawi.

No vídeo, publicado no sábado, alegadamente pelo EI, Kenji Goto surge a ler as exigências dos jihadistas, ao mesmo tempo que segura a fotografia de Moaz al-Kassasbeh

O piloto Moaz al-Kassasbeh foi capturado pelo EI no final de 2014. O seu avião despenhou-se na Síria, quando participava numa missão da coligação internacional liderada pelos Estados Unidos. Agora, poderá servir moeda de troca para a libertação da mulher de 44 anos, que confessou, aquando a sua detenção, pertencer à Al-Qaeda.

Entretanto, o Governo japonês já veio desmentir os comentários do seu ministro dos Negócios Estrangeiros, Yasuhide Nakayama, que, alegadamente, terá dito que o acordo para a libertação de Kenji Goto estava iminente. As próximas horas poderão, por isso, ser decisivas.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

 
Assine o Observador a partir de 0,18€/ dia

Não é só para chegar ao fim deste artigo:

  • Leitura sem limites, em qualquer dispositivo
  • Menos publicidade
  • Desconto na Academia Observador
  • Desconto na revista best-of
  • Newsletter exclusiva
  • Conversas com jornalistas exclusivas
  • Oferta de artigos
  • Participação nos comentários

Apoie agora o jornalismo independente

Ver planos

Oferta limitada

Apoio ao cliente | Já é assinante? Faça logout e inicie sessão na conta com a qual tem uma assinatura

Há 4 anos recusámos 90.568€ em apoio do Estado.
Em 2024, ano em que celebramos 10 anos de Observador, continuamos a preferir o seu apoio.
Em novas assinaturas e donativos desde 16 de maio
Apoiar

19 MAIO 2024 - SEDE OBSERVADOR

Atos de vandalismo não nos calarão.

Apoie o jornalismo que há 10 anos se pauta pela liberdade de expressão e o nunca vergar por qualquer tipo de intimidação.

Assine 1 ano / 29,90€ Apoiar

MELHOR PREÇO DO ANO

Ao doar poderá ter acesso a uma lista exclusiva de benefícios

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Para ler este artigo grátis, registe-se gratuitamente no Observador com o mesmo email com o qual recebeu esta oferta.

Caso já tenha uma conta, faça login aqui.

Há 4 anos recusámos 90.568€ em apoio do Estado.
Em 2024, ano em que celebramos 10 anos de Observador, continuamos a preferir o seu apoio.
Em novas assinaturas e donativos desde 16 de maio
Apoiar

19 MAIO 2024 - SEDE OBSERVADOR

Atos de vandalismo não nos calarão.

Apoie o jornalismo que há 10 anos se pauta pela liberdade de expressão e o nunca vergar por qualquer tipo de intimidação.

Assine 1 ano / 29,90€

MELHOR PREÇO DO ANO