Rádio Observador

Câmara Municipal Lisboa

Costa só deixa de ser presidente se ganhar eleições

949

António Costa só deixa o cargo de presidente da Câmara de Lisboa quando for nomeado primeiro-ministro. A taxa turística para chegadas no aeroporto avança em Abril.

Medina será o homem que se segue como presidente da Câmara

António Cotrim/LUSA

António Costa vai continuar como presidente da Câmara Municipal de Lisboa até as eleições e só sairá quando (e se) ganhar as legislativas e for nomeado primeiro-ministro. A garantia foi dada pelo vice-presidente da autarquia, Fernando Medina, que em entrevista ao Económico assegurou que o trabalho de Costa na câmara e no PS é conciliável.

“Costa só deixará de ser presidente da Câmara Municipal de Lisboa quando for nomeado primeiro-ministro”, disse Fernando Medina na entrevista. Para o número dois da câmara tudo corre bem nas duas frentes a António Costa porque tem “equipas treinada e organizadas” e por isso “até lá [quando for nomeado primeiro-ministro], a gestão da Câmara e do partido tem-se mostrado totalmente compatível”. Medina será o homem que substituirá Costa a meio do mandato, caso este vença as legislativas, e acredita que os lisboetas estavam preparados para essa substituição uma vez que este seria à partida o último mandato de Costa na Câmara. Diz, por isso, que esta transição será “sem nenhum sobressalto”.

Medina foi mais longe do que tem dito o próprio António Costa. Ainda numa entrevista que deu à SIC há duas semanas, António Costa remeteu a resposta para mais tarde dizendo que sairia da presidência da Câmara no momento oportuno.

Além da substituição na autarquia, Fernando Medina deixou ainda outras notas na entrevista. Diz o responsável das Finanças da autarquia que continuará a defender que parte das receitas do IVA sejam encaminhadas para os municípios e justifica a ideia para Lisboa sobretudo por duas razões: o fim do Imposto Municipal sobre as Transações (IMT), previsto para 2018, e as despesas que Lisboa tem com a promoção turística desde a animação à gestão e construção de equipamentos.

Taxa avança em abril

O Orçamento da Câmara de Lisboa que agora entra em vigor foi dos mais mediáticos sobretudo por causa da criação da taxa turística em Lisboa. Na entrevista, Medina garante que a taxa, que ainda está a ser negociada com a ANA, vai ter um modelo “muito prático, simples e muito claro de aplicação”.

Para já, está apenas garantido que os residentes em Portugal estão isentos do pagamento de um euro à chegada ao aeroporto de Lisboa.

Esta é aliás a única taxa turística a ser aplicada este ano e só deverá começar em abril, quatro meses depois da previsão inicial da autarquia. Já a taxa a cobrar nas chegadas ao Porto de Lisboa  demorará mais e só entrará e vigor em Janeiro de 2016, tal como a taxa de dormidas. De acordo com as contas da câmara, o total da taxa (que se divide assim em três) renderá cerca de sete milhões de euros.

 

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)