O magistrado belga responsável pela investigação à filial do banco HSBC, na Suíça, pondera emitir mandados de detenção em nome do diretor do banco por falta de cooperação, disse esta segunda-feira um porta-voz. Os investigadores esperam há dois meses por esclarecimentos voluntários por parte do banco. E nada.

Segundo aquele porta-voz, desde novembro que o banco é acusado de lavagem de dinheiro e de fraude, por oferecer a traficantes de diamantes e a clientes belgas endinheirados várias formas de esconderem os seus rendimentos e escaparem aos impostos.

“O banco não está a fornecer a informação requerida voluntariamente. O juiz disse que é tão difícil obter a informação que pondera emitir mandados de detenção em nome dos diretores do banco na Bélgica e na Suíça”, disse o porta-voz.

Cerca de três mil belgas terão depositado 5,5 mil milhões euros na filial do banco inglês HSBC, na Suíça. No domingo o Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação publicou vários documentos secretos daquele banco onde divulgam contas e os seus titulares de vários países. Com ligações a Portugal, há mais de 600 contas.