O líder da oposição russa foi condenado a 15 dias de prisão por distribuir panfletos, conta a BBC. Tudo porque Alexei Navalny promovia uma manifestação contra Vladimir Putin, o Presidente da Rússia, para 1 de março. O político abandonou o tribunal, esta quinta-feira, algemado e num carro da polícia.

Alexei Navalny esteve recentemente em prisão domiciliária, entre fevereiro e outubro de 2014, depois de ter violado a proibição de viajar imposta na sequência do caso da fraude à Yves Rocher. No tal caso, de julho de 2013, Navalny foi condenado a cinco anos de prisão pelo alegado roubo de 16 milhões de rublos (cerca de 236 mil euros) de uma empresa de madeira em 2009, mas acabou por ser libertado pouco depois (pena suspensa). O irmão, Oleg  Navalny, também esteve envolvido e recebeu a sentença mais dura: três anos de prisão efetiva.

Apenas umas horas depois de um tribunal o ter condenado a três anos e meio de prisão com pena suspensa, o político acorreu a uma manifestação e fez questão de o demonstrar através da sua conta no Twitter — “Sim, estou em prisão domiciliária. Mas hoje eu quero estar com vocês, por isso, também vou”, escreveu, colocando também uma selfie no metro. Tardaria pouco para voltar a ser detido. O New York Times escreveu então que a detenção durou apenas algumas horas. Segundo a agência noticiosa russa Interfax, as autoridades disseram que a polícia se limitou a acompanhar Navalny a casa.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR