Dois novos medicamentos para combater o colesterol estão a dar sinais de reduzir problemas cardiovasculares. Tanto o Repatha, desenvolvido pela farmacêutica Amgen Inc., como o Praluent, em desenvolvimento pela Sanofi and Regeneron, cortam em mais de 60% os níveis de colesterol, segundo um estudo publicado este sábado no New England Journal of Medicine e citado pela Bloomberg.

Os ensaios clínicos demonstraram que os pacientes injetados com estes medicamentos têm 50% menos de probabilidade de morrer ou sofrer problemas cardíacos como ataques cardíacos, AVC ou dores no peito. Estes resultados foram obtidos apenas um ano, ou dezoito meses depois de o tratamento ter sido iniciado.

Segundo a Bloomberg, as descobertas destas farmacêuticas não são ainda definitivas, mas o facto de os resultados indicarem a redução dos níveis de colesterol, só por si, poderá facilitar a aprovação dos medicamentos, disse Steve Nisssen, um cardiologista da Cleveland Clinic no estado norte-americano do Ohio, em declarações à agência noticiosa.

Os dois medicamentos são semelhantes, o que significa que as duas farmacêuticas poderão competir para tornar o preço mais baixo. Alguns analistas esperam que as novas drogas rendam mais de dois mil milhões de dólares em vendas por ano.