Este templo hindu da imagem, Sri Meenakshi Amman, Tamil Nadu, na Índia, confunde a visão: é construído por peças semelhantes entre si e iguais em toda a construção. Repetem-se até às ínfimas proporções, como um puzzle infinito ou uma ilusão de ótica. Mas se se ultrapassar a exuberância que o monumento impõe, encontra-se uma regra: o templo baseia-se num algoritmo que está explicado em documentos sobre as construções ancestrais programadas científica e arquitetonicamente, os chamados Vastu Shastra.

No final de contas, este templo hindu reflete o modelo do Universo fractal, como explica o Dataisnature.

Segundo Kirti Trivedi, um catedrático do Centro de Design Industrial indiano, o modelo da cosmologia fractal representa “visões do cosmos que são holonómicas e semelhantes entre si na natureza”. Uma repetição infinita de partes do espaço que compõem o universo e que são agora estudadas pelo ocidente para encontrar relação entre as galáxias e os aglomerados destes corpos celestes, bem como para descobrir a sua distribuição e densidade.

Esta conceção do universo está de acordo com a filosofia hindu, que assume que o cosmos se encontra numa cápsula graças a um elemento simples e primário que o sustém a que chamam tranmatras. E esta cápsula repete-se infinitamente em escalas proporcionalmente mais pequenas.

Este pensamento era muito avançado para a época e a prova disso são as primeiras plantas encontradas para este templo, as Vastu-Purusha Mandala. “Não é um desenho técnico, mas sim um projeto, um marco do potencial onde está implicado um grande número de possibilidades”. Algo que só agora foi conseguido pela tecnologia moderna e onde a arquitetura se desdobra em graus de emergência.

A proporção entre as peças do monumento são conseguidas através de uma medida específica: a tala, uma medida estrutural invariável que respeita, mais uma vez, a ciência fractal. Um objeto pode ser composto com dimensões ilimitadas a partir de partes progressivamente mais pequenas que não comprometem a harmonia do todo. Uma construção recursiva que é descrita em documentos arquitetónicos.

A camada de projeção estará acima do beiral do telhado. Isto é para ser repetido uma e outra vez, pináculo sob pináculo. (…) Cada um dos pináculos deve ser brotado com uma medida que corresponde a metade do tamanho do pináculo inferior.

Um dos templos que ilustra este modelo de construção chama-se Kandariya Mahadev e está em Madia Pradexe, uma província na Índia. É um dos melhores exemplos da construção recursiva baseada na cosmologia fractal. Mas não é o único. Ora veja.