Todos os anos, pessoas em todo o mundo com mau calçado, e em ambientes de extrema pobreza, são expostas a parasitas perigosos. Isso resulta, segundo a Organização Mundial de Saúde, em 300 milhões de casos de doenças graves devido a parasitas transmitidos pelo solo. Agora, a invenção de um homem pode ajudar a salvar milhões de vidas. E a solução está num par de sapatos, segundo conta o site Mic.

Kenton Lee, designer e inventor, criou o sapato que cresce (“Shoe That Grows”, em inglês). Basicamente consiste num par de sapatos expansíveis, ideais para crianças, que facilmente aumentam de tamanho e têm uma durabilidade de cinco anos. O sapato expande à frente, atrás e de lado. A ideia surgiu quando, um dia, Lee se esbarrou com uma menina em Nairobi, no Quénia, com sapatos demasiado pequenos para os seus pés. Uma imagem que despoletou o seu processo criativo.

Aproximadamente 1.2 mil milhões de pessoas vivem em condições de extrema pobreza e, na maior parte dos casos, em ambientes com mau saneamento. Isto significa que, quando as crianças andam descalças, são muitas vezes expostas a matéria fecal depositada no chão. A inovação proposta, que resulta de uma colaboração entre Kenton Lee e a empresa Proof of Concept, pode mudar essa realidade.

O projeto foi lançado pela organização não governamental Because International, da qual Lee é diretor executivo, e os sapatos custam entre 12 e 30 dólares (11 e 28 euros, aproximadamente). Mas há outros parceiros empenhados – no Equador, Haiti, Gana e Quénia – para que o calçado em questão chegue aos pés de quem mais precisa.