Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O Tribunal Arbitral já declarou os serviços mínimos para a greve da TAP. A transportadora aérea vai ter de assegurar que todos os passageiros regressam a Lisboa ou ao Porto, que os voos militares ou de estado são cumpridos com normalidade e ainda que todos os voos para os Açores vão ser efetuados. Para a Madeira há a certeza de três ligações diárias e várias rotas como Angola e Brasil vão ter um voo diário.

As medidas de serviço mínimos foram anunciadas esta segunda-feira e o tribunal justificou-as com a duração da greve – 10 dias de 1 a 10 de maio -, com o facto de haver um aumento de procura de voos nesta altura do ano, a importância que estas ligações assumem para os portugueses que vivem nas regiões autónomas e o vasto número de emigrantes em países como Angola, Brasil, Moçambique e também em países europeus.

Assim, estão assegurados todos os voos de regresso da companhia aérea mesmo que estes se efetuem nos dias de greve, assim como todos os voos que se realizem tendo em conta a segurança nacional, o transporte de militares e de altas figuras do Estado. Estão ainda assegurados todos os voos para os Açores, três voos diários para a Madeira e uma ligação por dia para os seguintes países: Angola, Moçambique, Brasil, França, Luxemburgo, Reino Unido, Suíça, Alemanha, Bélgica e Itália.

Outro motivo para manter a rota para os Açores é também a celebração da festa do Senhor Santo Cristo, que todos os anos milhares de crentes à ilha de S. Miguel para a maior celebração religiosa do arquipélago.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR