De que é que falamos quando falamos de felicidade? Esta é a questão central da primeira edição das “Conversas” que o Observador vai organizar nos próximos meses, para reunir a redação e os leitores num só espaço. Na próxima segunda-feira, 11 de maio, o Centro Cultural de Belém (CCB) acolhe este encontro offline, presencial e real, que será uma forma de conhecer outras ideias acerca do que é ser — e estar — feliz.

Laurinda Alves será a moderadora deste primeiro encontro e explica que o tema da felicidade foi escolhido “por ser um assunto que ainda nos divide um pouco”. “Há quem pense que a felicidade é algo que se atinge e que dura para sempre e há quem ache que a felicidade depende de sermos mais ricos ou de termos mais bens.”

Mas afinal o que é isso de ser feliz? Quem estará certo? É isso que pretendemos descobrir nesta busca pelo sentido da felicidade. Não são garantidas conclusões, mas a conversa promete ser animada.

[jwplatform SmeLWmNt]

O propósito destas Conversas já foi explicado aqui pelo David Dinis, diretor do Observador. Na prática, há um tema e seis oradores convidados para falar dele. Cada um tem alguns (poucos) minutos para apresentar um ponto de vista, uma ideia, uma provocação. Depois, a audiência será convocada para discutir ideias, partilhar pensamentos e outros pontos de vista.

[jwplatform 9sJqIDAU]

Convidamos os nossos leitores a virem ao CCB (Sala Luís de Freitas Branco) na próxima segunda-feira dia 11, a partir das seis da tarde, para conhecerem as histórias de seis oradores escolhidos por nós e com ideias bem diferentes acerca da felicidade. Contamos consigo. Mas não chegue tarde: a entrada é livre, mas os lugares são limitados à lotação da sala.

Abrimos uma área dedicada a este ciclo de Conversas, onde reunimos os artigos relacionados com os temas em debate. Siga-nos aqui: observador.pt/seccao/conversas