O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, criticou hoje Israel por expandir a colonização nos territórios ocupados da Cisjordânia e Jerusalém-Leste, recordando que é ilegal segundo o direito internacional. “O secretário-geral lamenta profundamente a continuação da colonização por parte das autoridades israelitas”, afirmou, em comunicado, um porta-voz de Ban Ki-moon.

O chefe da ONU reiterou que os colonatos são “ilegais sob a legislação internacional” e apelou ao governo de Israel para que “pare e anule este tipo de decisões”. A comunidade internacional, recordou, “não vai reconhecer ações unilaterais sobre o terreno” e insistiu que o estatuto de Jerusalém “só se pode resolver através de negociações”.

Nos últimos dias, a União Europeia também solicitou a Israel para que recuasse na sua intenção de aumentar a colonização, por considerar que ameaça a solução dos dois Estados e faz duvidar da autenticidade do seu compromisso em negociar um acordo com os palestinianos.