Rádio Observador

Ciência

Equipa de cientistas da Universidade de Lisboa identifica nova droga proibida pela primeira vez

473

Uma equipa da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, em colaboração com a Polícia Judiciária, identificou uma nova substância psicoativa proibida em pós brancos apreendidos em Portugal.

A equipa de investigadores da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa foi liderada por Helena Gaspar

Faculdade de Ciências da ULisboa

Pela primeira vez em Portugal, uma equipa de cientistas identificou uma nova droga proibida. A equipa da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, em colaboração com o Laboratório de Polícia Científica da Polícia Judiciária, identificou a substância psicoativa 4F-PBP, em pós brancos apreendidos no País, divulgou, em comunicado, a instituição de ensino.

A 4F-PBP é uma nova droga proibida, não listada nas Convenções das Nações Unidas sobre Estupefacientes e Substâncias Psicotrópicas, e “pode constituir uma ameaça à saúde pública, comparável à das substâncias constantes das referidas convenções”, lê-se no comunicado.

Trata-se de uma droga sintética, pertencente à família das catinonas, e encontrava-se misturada com o hidrato de carbono mio-inositol, um excipiente utilizado no fabrico de medicamentos e já anteriormente encontrado em misturas com cocaína.

O trabalho desenvolvido pela equipa de investigadores da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, liderada por Helena Gaspar, investigadora do Centro de Química e Bioquímica desta faculdade, foi publicado recentemente na revista da especialidade Forensic Science International.

A investigação desenvolvida e os resultados obtidos no âmbito desta parceria serão discutidos num workshop a ter lugar no próximo dia 3 de junho de 2015, no auditório do novo edifício-sede da Polícia Judiciária, em Lisboa.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Rússia

A Cortina de Ferro volta a fechar-se? /premium

José Milhazes
249

Os cientistas estrangeiros, quando de visitas a organizações científicas russas, só poderão utilizar gravadores e máquinas copiadoras “nos casos previstos nos acordos internacionais".

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)