O ministro da Economia esteve no dia 4 de junho reunido com a Associação Sindical dos Funcionários da ASAE numa reunião que definiu como positiva, mas onde não lhe foram apresentadas provas sobre uma alegada lista VIP no setor.

“Estávamos na esperança, hoje [dia 4 de junho], de sermos confrontados com provas”, vincou António Pires de Lima no final do encontro, tido em Lisboa, no Ministério da Economia.

As provas não chegaram, mas o ministério abriu entretanto um inquérito: “Aquilo que nós queremos é que se apure a verdade”, sublinhou o governante.

A ASF-ASAE denunciou na quarta-feira, dia 3 de junho, situações em que os inspetores foram proibidos de inspecionar determinados agentes económicos e em que as brigadas receberam ordens para abandonar os locais que estavam a fiscalizar.

A ASF-ASAE fala em “diversas situações relacionadas com a proibição de os inspetores inspecionarem determinado agente económico, ou ainda o caso em que as brigadas foram mandadas retirar dos locais em que estavam a inspecionar”.

Para a associação, este tipo de situações levanta uma questão: “Estaremos em abstrato perante uma “lista VIP” da Inspeção Económica”.

Logo na quarta-feira, dia 3 de junho, o ministério da Economia disse ser “absolutamente falsa” a existência de uma “lista VIP” da inspeção económica e recusou as acusações feitas pelo sindicato da ASAE de ter sido proibida a fiscalização a determinados agentes económicos.