A 9.ª edição do MOTELx vai ter um dia extra de programação para exibir “The Visit”, o mais recente filme do realizador M. Night Shyamalan. O cinema de terror regressa ao Cinema São Jorge, em Lisboa, entre 8 e 13 de setembro. Mas há vários eventos paralelos para aproveitar uns dias antes.

Há algum tempo que M. Night Shyamalan deixou o estado de graça que tinha conquistado graças a filmes como “O Sexto Sentido” e “O Protegido”. A nova série “Wayward Pines“, onde foi produtor executivo, teve uma boa receção e o mesmo pode acontecer agora com “The Visit“, o mais recente filme do cineasta. Para ver no dia 8 de setembro, no Cinema São Jorge, anunciou a organização, em conferência de imprensa.

É uma tentativa de regressar às origens. Filmado em segredo na terra natal de Shyamalan, com atores pouco conhecidos e financiado pelo próprio, “The Visit” conta a história de dois irmãos que são deixados à guarda dos aparentemente simpáticos avós durante alguns dias. A única regra que deveriam ter seguido era a de nunca saírem do quarto depois das 21h30.

“The Visit” faz parte da secção Serviço de Quarto, a mais importante do festival, assim como “Cop Car“, produzido e interpretado por Kevin Bacon, e “Extinction“, do mesmo realizador da curta-metragem portuguesa de terror, “I’ll See You in my Dreams”, de Miguel Ángel Vidas. O protagonista será Matthew Fox, da série “Lost”.

Em agosto haverá mais novidades mas, por agora, sabe-se que o público vai poder ver “Green Room” (punks vs. neonazis), “The Invitation” (um jantar de amigos que corre para o torto), o britânico “Howl” (uma viagem de comboio sinistra) e “Turbo Kid” (futuro pós-apocalítico imaginado num cenário passado em 1997).

Yakuza Apocalypse“, obra mais recente do japonês Takashi Miike, traz-nos yakuzas (membros da máfia japonesa) vampiros e um cenário simplista. Ainda não há nenhum trailer com legendas em português, nem em inglês. Mas as imagens permitem ter uma ideia do que aí vem:

Se no ano passado o MOTELx recuperou o “assassino do aqueduto”, nome pelo qual ficou conhecido Diogo Alves, a 9.ª edição lembra no cartaz a lenda da “dama do pé-de-cabra”. E por falar em antiguidades ressuscitadas, na secção Quarto Perdido será possível ver dois filmes que estavam enterrados há décadas, disse a organização, que os conseguiu descobrir com a ajuda preciosa da Cinemateca.

O primeiro é “A Caçada do Malhadeiro“, em cópia restaurada, um filme 100% português de 1967, passado numa época pouco explorada na arte nacional, as invasões francesas. A realização e o argumento são de Quirino Simões e no elenco estão Fernando Gusmão, Rui Mendes, Vitor Gomes e Baptista Fernandes. O outro é “Sinal Vermelho“, um thriller policial de 1972 coproduzido entre Portugal e Espanha. No centro da obra realizada por Rafael Romero Marchent está “o grande flagelo da droga no jet-set português”, disse a organização. Será exibida a cópia em inglês por estar em melhor estado do que a portuguesa e a espanhola.

disco-rojo

“Sinal Vermelho”, um filme enterrado há 40 anos sobre a droga e o jet-set português

“O convidado de honra deste ano é um dos mais importantes que já tivemos aqui”, disse a organização, para logo anunciar a presença do norte-americano Roger Corman. O realizador e produtor de 89 anos esteve envolvido em centenas de filmes – sobretudo de série B – onde o sangue, a nudez e os orçamentos baixos eram presença assídua.

Este ano há 10 curtas em competição pelo Prémio Mov- MOTELx para Melhor Curta de Terror Portuguesa. “A nossa aposta é o terror português. Queremos mais terror em Portugal”, disse a organização. Também foi lançado o segundo Concurso do Livro de Contos de Terror, com textos inéditos e ilustrações de nomes como Afonso Cruz, Adolfo Luxúria Canibal (Mão Morta), Patrícia Portela e Inês Fonseca Santos. O livro vai ser publicado durante o festival. Em parceria com o Canal MOV, que patrocina o evento, vão também estrear-se micro-curtas, isto é, pequenos filmes de terror filmados com telemóveis ou tablets.

A secção Lobo Mau, pensada para as crianças, também vai assombrar o São Jorge, ao espaço exterior ao Cinema e à Cinemateca Júnior. O objetivo é “apresentar aos mais pequeninos o terror como entretenimento” e isso vai fazer-se com workshop e com filmes seguidos de quizzes com prémios.

Para além do cinema, há muitas e variadas atividades que podem ser aproveitadas por adultos e crianças. E se os filmes começam em força a 8 de setembro, uns dias antes, entre 2 e 5 de setembro, tem lugar o “warm up MOTELx”. É lá que se inserem as paradas zombie na cidade, exposições, concertos e cinema gratuito ao ar livre, tanto no Largo de São Carlos como no beco do Lounge, na Rua da Moeda.