Apenas um quarto dos candidatos a deputado em lugar elegível em Lisboa são estreantes. Trata-se do maior círculo eleitoral e, segundo as últimas sondagens, 20 lugares estarão garantidos para os socialistas nas eleições legislativas de 4 de outubro.

Nos primeiros 20 lugares, apenas cinco candidatos nunca foram deputados. Mário Centeno é o homem forte de Costa para as questões económicas e coordenador do estudo macroeconómico; Graça Fonseca ocupa o cargo de vereadora na Câmara de Lisboa e pertence ao secretariado nacional do PS; Diogo Leão é líder da JS/Lisboa e está em 18º na lista, logo antes de Ana Sofia Campos, da Acapo, e Rui Riso, da UGT. Os cinco vão estar ao lado de históricos como Edite Estrela, Maria da Luz Rosinha, Susana Amador ou Joaquim Raposo, que voltam ao Parlamento depois de um interregno.

Na lista do PS pelo Porto, por exemplo, entre os 18 candidatos em lugar elegível, nove nunca foram deputados. Desde logo, Alexandre Quintanilha, o físico escolhido por Costa para liderar os socialistas no distrito nortenho, mas também Ricardo Bexiga, candidato do PS à Câmara da Maia, Tiago Barbosa Ribeiro, líder da concelhia do PS/Porto, Pedro Bacelar Vasconcelos (constitucionalista e dirigente do PS) e João Torres, líder da JS.

O PS fechou na madrugada de terça-feira a lista de candidatos a deputados nas próximas eleições legislativas. Com a renovação do partido como lema, e mesmo com casos difíceis de resolver, António Costa poderá colocar 51 caras novas nos 106 lugares que os socialistas acreditam conseguir eleger a 4 de outubro a avaliar pelas sondagens, nomeadamente, a do SIC/Expresso de maio, que dava vantagem ao PS e que fazia a distribuição de mandatos de todos os partidos.